Category Archives: Beleza

Amamentação X Seios Turbinados com Silicone

Queria abordar hoje em nosso blog para grávidas antenadas é uma dúvida que ronda a cabeça das mulheres turbinadas e também daquelas que pensam em colocar implantes de silicone: tenho próteses nas mamas, ainda assim posso amamentar?

A resposta é: Sim!

Para isto pedimos ajuda a um cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que é Dr. André Colaneri, que nos ajudou a responder algumas das principais dúvidas comuns quando o assunto é silicone e amamentação, e que ouvimos bastante no provador da loja da Zazou:

1) A presença de próteses altera a quantidade de leite produzido? E a qualidade?

Não, pois a prótese quando colocada não interfere nas glândulas mamárias. Independente do plano de colocação (subglandular, submuscular, subfascial ou duplo plano) não interfere.

2) O bebê pode rejeitar a mama devido à textura diferente?

Não. A mama com prótese pode ter uma consistência mais firme, porém a textura, o cheiro é o mesmo. O bebê também vai conhecer a mama já aumentada e para ele esse será o padrão normal.

3) O silicone pode vazar durante a amamentação?

Não. As próteses são resistentes e passam por rigoroso teste de qualidade. A amamentação não exerce nenhuma pressão ou trauma sobre a prótese.

4) O período de amamentação de uma mulher com próteses é o mesmo de uma que não passou pela cirurgia?

O tempo possível de amamentação de uma mulher com ou sem próteses é igual.

5) As próteses agravam a flacidez após o período?

A flacidez pós-amamentação é quase inevitável, pois as mamas aumentam de volume com o leite produzido e depois diminuem, o que faz com que a mama laceie mesmo sem ter prótese. A prótese abaixo da glândula, por não ter nenhuma sustentação, pode levar à maior queda, se comparada à abaixo do músculo.

6) O leite pode empedrar por causa das próteses?

O leite fica “empedrado” quando a mama não é totalmente esvaziado durante mamada. Portanto, as próteses não tem nenhuma relação com a situação.

7) Os implantes podem fazer os mamilos racharem?

Não. Na verdade, o que pode causar danos às mamas é a “pega” incorreta (maneira de posicionar o bebê na hora de amamentar), além do ressecamento das aréolas.

8) Os implantes causam dor à mulher durante a amamentação?

A dor durante a amamentação também está relacionada, muitas vezes, à pega. A presença de próteses não aumenta ou diminui as dores.

9) O uso de bombas de sucção de leite pode “estourar” as próteses?

Não, as bombas não interferem nos implantes, mas o uso desses produtos deve ter sempre orientação médica.

10) É possível colocar implantes durante o período de amamentação?

Não, pois as mamas ficam inchadas com o volume extra. É necessário aguardar três meses para realizar a cirurgia, para que as mamas voltem ao tramalho natural e o leite seque.

Para cada tipo de mama, de biotipo e perfil psicologico há uma prótese ideal. Logo, a protese indicada para uma paciente pode não ser indicada para sua amiga, mesmo que semelhante. Para maior segurança sempre procure um especialista da Soc Brasileira de Cirurgia plástica e opere em ambiente hospitalar.

Número de Visualizações: 1111

Trabalhando durante a gravidez

A cada ano aumenta o número de mulheres grávidas que continuam trabalhando, isso porque é cada vez mais explícito que trabalhar não vai machucar o bebê e porque as mulheres atuais estão mais ativas do que nunca. Exceções feitas para mulheres que têm uma gravidez de alto risco, o trabalho não prejudica em nada o período da gestação, só é preciso tomar cuidados especiais.

Por exemplo veja abaixo o caso da Carol Chab, engenheira agrônoma e radialista, está grávida de seu primeiro filho e continua trabalhando diariamente, apenas reforçando alguns cuidados médicos.
“Apresento meu programa na rádio de segunda à sábado, das dez da manhã ao meio dia, e não quero deixar de lado a minha profissão por causa da gravidez: quero agregar aos dois”, comenta.


O ideal é que mulheres grávidas adaptem a sua função à gravidez de forma que sintam-se mais seguras, façam boas refeições e possam descansar sempre que sentirem vontade.

Não é novidade que, durante esse período, é preciso evitar esforços exagerados, como fazer muitas horas extras, viagens prolongadas sem orientação do seu médico e até as festas depois do expediente se a futura mamãe estiver cansada, mas isso não é motivo para deixar de viver.
“A gravidez é um momento único, especial, mas, ao mesmo tempo, não se pode deixar que ela seja o único foco da sua vida. Você tem pessoas ao seu redor, sua profissão e seus hobbies. O legal mesmo é poder unir tudo isso”, comenta Carol.


As principais dicas para continuar na ativa e evitar problemas com o bebê são fazer pausas a cada três horas, caminhar, fazer alongamentos, elevar os pés algumas vezes ao dia para facilitar a circulação e evitar inchaços.
“Além disso percebi, na prática, que nós, grávidas, vamos ao banheiro com muito mais freqüência. Por isso, se puder trabalhar perto de um banheiro será melhor para você, qualquer coisa peça para mudar de lugar com algum colega, ele não irá recusar. E, é claro, sempre que precisar ir ao banheiro, vá. Não fique segurando a vontade”, sugere Carol.


Fazendo refeições leves e saudáveis a futura mamãe se sentirá mais confortável para trabalhar, assim como evitando ambientes quentes e abafados.
“Sempre que ficar com calor abra as janelas ou saia do local por algum tempo, afinal, ninguém quer que a sua pressão baixe, não é?”, brinca.


Quando estiver no final da gravidez você poder decidir junto com seus colegas e superiores qual é o melhor momento para parar de trabalhar.
“Algumas mulheres trabalham até o último dia da gestação, outras optam por parar algumas semanas antes. Independente da sua escolha, o ideal é deixar tudo planejado com antecedência para não comprometer o trabalho de ninguém”, opina Carol.


Porém, é preciso lembrar que quando o parto se aproxima, a mulher tende a se cansar mais rápido e poderá ser difícil manter o trabalho no nível de sempre. Além disso, é importante deixar um pouco de tempo para descansar, afinal, esses são os últimos dias em que a mamãe vai poder dormir sem as preocupações de o neném acordar durante a noite.
Número de Visualizações: 879

Vídeo = Conheça os problemas de pele mais comuns durante a gravidez

A dermatologista Dra. Ana Beatriz Schmidt traz muitas informações sobre doenças de pele na gravidez no vídeo abaixo.
Número de Visualizações: 745

Vídeo = Efeitos dermatologicos da gravidez

Veja no vídeo abaixo algumas dicas úteis e práticas com a Dr. Viviane Martins sobre os efeitos dermatologicos da gravidez, com a sua pele, cabelo, unhas, estrias, e muito mais.
Número de Visualizações: 691

Tire suas dúvidas sobre a Depilação durante a sua Gravidez

Em nove meses de mudanças, a barriga cresce e o corpo se transforma: as mudanças são graduais e mudam a rotina da gestante. Quando o assunto é depilação algumas adaptações são necessárias. Vejam abaixo algumas dicas úteis da médica Fátima Maria Cunha, que é membro da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Sul.

1) Como a gravidez influencia na depilação?

Em primeiro lugar é importante esclarecer que as mulheres podem continuar a remover os pelos do rosto e do corpo, sim. Contudo, nessa fase a pele tende a ficar mais sensível. Desse modo, é normal sentir um desconforto maior e um pouquinho mais de dor ao se depilar.

2) O que os especialistas dizem sobre a depilação íntima total?

A região pélvica, por exemplo, é a que mais sente as consequências da gravidez: o afastamento dos ossos da bacia somado ao maior fluxo de sangue correndo pelo corpo, especialmente na área vaginal, deixam a região bem mais sensível. Para driblar esse cenário, alterne os métodos: a cera, por exemplo, pode ser substituída pela lâmina ou aparelhos elétricos em um primeiro momento - até a sensibilidade se estabilizar.

3) Ao que se atentar na hora de escolher o método de depilação?

Em primeiro lugar, aos riscos que determinados procedimentos podem representar para o bebê e para a saúde da própria gestante.

Não há consenso entre a comunidade médica sobre o uso dos cremes depilatórios. Há fabricantes que atestam a segurança de seus produtos para mulheres grávidas. Outros não são testados em mulheres nessas condições. Portanto, em um primeiro momento é recomendado evitá-los e inclui-los na rotina somente se o ginecologista-obstetra autorizar.

Já os métodos de depilação definitiva, como o laser, estão expressamente proibidos pois a maioria desses aparelhos não são testados em gestantes. Não há estudos que garantam a segurança para o desenvolvimento do feto.

Os outros procedimentos como aparelhos elétricos, lâmina, cera e linha, estão liberados mediante cuidados básicos de higiene. A cera, por exemplo, não pode ser reaproveitada e deve ser ministrada por um profissional experiente uma vez que, conforme mencionado anteriormente, a pele está mais sensível; assim, a temperatura adequada é a mais amena.

4) O clareamento dos pelos é uma opção segura?

De forma alguma. Não há garantias de que as substâncias químicas e ativos presentes nas fórmulas para descolorir os pelos não penetrem na pele e, assim, ofereçam riscos ao bebê. Além disso, todo o organismo está mais sensível e propenso à irritações e alergias.
Número de Visualizações: 877

Vídeo = Cuidados com a pele na gravidez

Vejam no vídeo abaixo as dicas de uma dermatologias sobre os cuidados com a pele na gravidez.
Número de Visualizações: 653

Meias de compressão reduzem inchaço e varizes das pernas

Além de protegerem e aquecerem os pés nos dias mais frios, as meias também podem proporcionar diversos benefícios para a saúde e, principalmente, para o bem-estar feminino. Isso porque uma variedade delas é capaz de ajudar na circulação sanguínea das pernas e ainda prevenir inchaços e varizes.

Criados a partir de uma malha especial elástica, as chamadas meias de compressão, que vendemos na loja da Zazou, exercem sobre a área tratada uma pressão que pode variar entre suave, média, forte e extraforte, de acordo com as necessidades específicas de cada caso. Geralmente, elas são indicadas para as pessoas que apresentam problemas de circulação ou passam por processos pós-operatórios, já que evitam o surgimento dos perigosos coágulos, que podem dar origem a tromboses no sistema venoso profundo. Além disso, os acessórios espantam a famosa sensação de peso e cansaço nas pernas.
“As pessoas que permanecem muitas horas em pé ou sentadas costumam sentir muita dor e cansaço ao final do dia. Nesta hora, as meias de compressão são uma ótima opção para relaxar e aliviar a região”, afirma Ary Elwing, angiologista e especialista em cirurgia vascular periférica e tratamento a laser.


Ideais para o combate às varizes e vasinhos, as peças podem ser encontradas em diversas formas no mercado. As mais utilizadas são a antitrombo (que vai dos pés à batata da perna), 3/4 (que fica dois dedos abaixo do joelho), 7/8 (que fica acima do joelho e vai até o meio da coxa) e a meia-calça, que vai até a altura do umbigo. Apesar da tamanha diversidade do artigo, as varizes em estágios mais avançados exigem um tratamento médico feito por meio de cirurgias ou tratamentos estéticos com laser e aparelhos de radiofrequência.

Embora vistos pela maioria das pessoas como um problema que se resume ao espelho, vale lembrar que, quando não tratados, os risquinhos avermelhados das pernas podem se agravar e desencadear até mesmo uma úlcera. Por isso, recomenda-se sempre o acompanhamento de um médico especialista, assim que houver qualquer indício de dor e inchaço na região e, até mesmo, na hora da escolha do modelo de meia mais adequado para o problema.

Multifuncional, o item do guarda-roupa também é uma boa solução para as mulheres que costumam sofrer bastante com o inchaço durante a gravidez, decorrente da falta de retorno venoso.
“As alterações hormonais típicas desta fase, assim como a obesidade, os problemas cardíacos ou renais e a dificuldade de bombeamento de sangue na panturrilha, também podem aumentar não só o risco de inchaço nas pernas, como também desencadear as varizes”, explica Fernando Bacalhau, cirurgião vascular com título de especialista pela Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV).


Por conta dessa oscilação no funcionamento dos hormônios, além do uso diário da meia, devidamente receitada pelo médico especialista, a adoção de atividade física constante, de uma dieta feita à base de alimentos com pouco sal e de sessões de drenagem linfática deve passar a fazer parte da rotina das futuras mamães para que o tradicional inchaço nas pernas vá embora. O velho hábito de colocar as pernas para cima e repousar também pode amenizar a dor e o inchaço.
Número de Visualizações: 765

Pintar o Cabelo Durante a Gravidez

Muitas futuras mamães ficam em dúvida sobre a hora de usar produtos químicos no cabelo durante a gravidez. Porém, indo direto aonde as grávids querem saber é que sim dá para pintar o cabelo, porém desde que alguns cuidados sejam levados em consideração.

Perguntamos dicas sobre o tema para a ginecologista e obstetra Alfonso Massaguer, especialista em reprodução humana. Segue abaixo algumas recomendações dela para as grávidas que querem continuar mais belas durante a gestação.

Em primeiro lugar, ele lembra que não há muitas informações sobre o quão mal a amônia pode fazer à mulher grávida especificamente. Isso se deve ao fato de que não é permitido fazer testes com várias substâncias em mulheres grávidas.

Porém, já foi constatado no passado que o excesso de amônia realmente faz mal para as grávidas, e mesmo sem testes específicos para outras substâncias, é bom ter cuidado nessa hora.

O período de maior precaução ocorre nas primeiras 12 semanas de gravidez, que é o período de formação do bebê.

Quem quiser pintar o cabelo depois disso, deve evitar a raiz, pois o couro cabeludo absorve essas substâncias. Massaguer ainda recomenda a utilização de uma máscara na aplicação, para evitar maiores complicações para as grávidas.

Ainda assim, não é só a amônia eque deve ser evitada nesse período. Todos os ácidos, o formol, assim como qualquer tipo de substância química, devem ser evitados.

Para finalizar, o ginecologista aponta que, também, substâncias com muito odor não são recomendadas. A mulher deve sempre usar uma máscara nestas situações.
Número de Visualizações: 777

Video = Dicas de Maquiagem duranre a Gravidez

Vejam no video abaixo o maquiador Marcos Costa ensinando alguns cuidados de maquiagem para mulheres grávidas.
Número de Visualizações: 721

Estrias na gravidez são comuns, mas há como amenizá-las?

O aparecimento de estrias na gestação é comum, justamente pelas mudanças que o corpo sofre, como o estiramento da pele e as alterações hormonais. Mas elas se acentuam mesmo no último trimestre.

Mais uma vez pedimos ajuda ao Dr. Gustavo Corrêa, que é dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia, que nos contou de que normalmente elas aprecem onde a pele da gestante está mais sujeita e ser expandida como o ganho de peso, como mamas, barriga e coxas.

Com o estiramento além do que a nossa pele suporta, ocorrem lesões nas fibras do tecido, gerando a estria. Mas além do estiramento da pele gerado pela gestação, fatores hereditários também contribuem para o aparecimento das estrias.

Então, vamos lá: as causas são várias, estiramento da pele com ganho de peso, variações hormonais, que tornam as fibras da pele mais sensíveis, idade da gestante. Certamente aqui você deve ter pensado que as mais jovens têm menos propensão a ter estrias. Errado. Gestantes mais jovens, até 25 anos, têm a pele mais firme, portanto a chance de rompimento das fibras cutâneas é maior.

A primeira gestão também é a maior vilã das estrias, pois é quando ocorre o primeiro estiramento da pele.

Corrêa explica que quanto mais pesado for o feto, maior será o estiramento da pele para que a barriga da mãe possa sustentá-lo. O ganho de peso exagerado na gravidez também aumenta as chances de a gestante ganhar estrias.

E como lutar contra elas? Bem, durante a gestação, além de atividades físicas orientadas, a hidratação da pele é fundamental.

Massagear a pele com cremes que possuam dexpantenol e centella asiática, que ajudam na redução de estrias e estimulam a produção de colágeno, glicerina e lipídeos cutâneos.
Número de Visualizações: 765

Previna-se contra as manchas na pele antes e depois da gravidez

Durante a gestação, o corpo da mulher sofre um turbilhão de mudanças, inclusive hormonais. Uma delas é o aumento da liberação de melanina no organismo, o que, muitas vezes, gera ou aumenta as manchas na pele da gestante. Pedimos ajuda de um especialista, que foi o Dr. Gustavo Pinto Corrêa, que é conhecido dermatologista da Sociedade Brasileira.

Ele começou nos contando de que é muito importante que todas as grávidas tomem por hábito usar protetor solar no rosto, na barriga, no corpo todo. O protetor ajuda muito na proteção contra as manchas.

Mas atenção! O Melasma, como são chamadas essas temidas manchas escuras no rosto, têmporas, testa, é hereditário e piora na gravidez, justamente quando ocorrem tantas variações hormonais no corpo feminino. Outra causa importante para o aparecimento dessas manchas é o uso de anticoncepcional.

Por isso, vale a pena ver se há casos na família e reforçar o tratamento contra elas com orientação médica.

O uso de protetor e chapéu é recomendado, além de evitar exposição ao sol entre 10h e 16h. O protetor deve ser aplicado diariamente, não apenas quando a gestante estiver na praia ou na piscina, e reaplicado mais de uma vez se a exposição ao sol for grande.

Agora, se as manchas aparecerem, procure um dermatologista. Há vários cremes que podem ser utilizados na guerra contra as manchas, mas é imprescindível que o acompanhamento seja feito por um dermatologista, pois, assim como alguns suavizam as manchas, outros podem piorá-las.
Número de Visualizações: 690

Confira alguns mitos e verdades sobre tinturas durante a gravidez

O uso de máscaras, tinturas ou qualquer outro tipo de produto químico capilar durante a gestação gera uma série de dúvidas entre as futuras mamães e os profissionais da saúde. O dermatologista do Hospital Federal de Bonsucesso, Paulo Cotrim, esclareceu alguns mitos e verdades sobre o tema.

1) Amônia ou metais pesados não são recomendados durante a gestação?

Verdade.
"Apesar de não existirem estudos conclusivos sobre o assunto, a utilização desses produtos não é recomendada durante a fase gestacional. Isso porque o contato dessas substâncias químicas com o couro cabeludo pode fazer com que elas sejam absorvidas e levadas à circulação sanguínea da mãe e, assim, serem tóxicas e prejudicais ao feto", afirma Cotrim.


2) As tinturas sem amônia podem ser usadas durante a gestação?

Meia verdade.
"Para as mulheres que pintam o cabelo regulamente, uma das opções são as tinturas sem amônia, xampus tonalizastes e hennas naturais, por exemplo. Mesmo assim, é recomendado que a gestante evite tingir os cabelos antes das 14ª ou 16ª semana de gestação, quando o feto ainda está em formação. Vale ressaltar que, por ser um assunto controverso, o mais importante é consultar seu médico antes de usar qualquer produto."


3) Permanentes e alisamentos podem trazer riscos à saúde do bebê?

Verdade.
"Permanente, hidróxido de potássio, alisamentos, químicas e tratamentos à base de formol devem ser evitados pelas gestantes. O formol, por exemplo, é altamente tóxico, além de ser uma química cancerígena. Essa substância pode atrapalhar o desenvolvimento do bebê causando má formação, baixa de peso, entre outras anomalias"


4) Quando a grávida faz tratamentos estéticos nos cabelos, traz riscos não só para o feto, mas para ela mesma?

Meia verdade.
"O risco não é comprovado, não existe nenhum estudo oficial sobre o tema, mas as grávidas não devem arriscar".


5) Tinturas não têm níveis de substâncias químicas capazes de prejudicar a saúde do bebê?

Verdade.
"Não existe nenhuma comprovação científica que condene o uso de tintura durante a gravidez. As pinturas não oferecem risco à saúde do bebê pelo fato de não apresentar níveis significativos de substâncias químicas que possam levar à má formação da criança. Para garantir a segurança da mãe e do bebê, todos os produtos escolhidos pela gestante devem ser liberados pelo médico".


6) Durante a amamentação, a mulher pode pintar o cabelo, alisar e fazer outros tratamentos?

Meia verdade.
"Durante a fase da amamentação, a utilização desses produtos é visto com menos alarde pelos médicos. Entretanto, eles não podem conter amônia ou metais pesados, como o chumbo, por exemplo. Uma sugestão é optar pela henna ou outro produto capilar natural. Já os tratamentos para alisar os cabelos devem ser feitos somente após o período de amamentação".


7) Tratamentos para alisar os fios podem contaminar o leite da gestante?

Verdade.
"O formol deve passar longe das lactantes, pois não se conhecem ao certo a absorção, transmissão ou efeitos do produto em recém-nascidos. Como não há uma comprovação científica, o ideal é evitar qualquer risco. Além disso, essas químicas podem acarretar uma série de reações alérgicas. Caso isso aconteça, a mãe precisará fazer o uso de medicamentos que também podem interferir na qualidade da amamentação".
Número de Visualizações: 1352

Vídeo = Estética e Sexo durante a gravidez

Veja no vídeo abaixo do programa Viva Melhor com dicas práticas de como cuidar da estética durante a gravidez, assim como sobre o sexo e outros assuntos com a Ginecologista Obstetra Dra. Fernanda Pauro.
Número de Visualizações: 956

Dica de um dos melhores Hidratantes para Grávidas do Mercado da Dermatologista Ligia Kogos

Na gestação é comum o aparecimento de estrias e um aumento da flacidez graças a distensão da pele. Por isto muitas mulheres grávidas tem a preocupação de preveni-las usando cremes e óleos hidratantes, próprios para grávidas. Existem vários bons, mas queria hoje comentar sobre um especifico, dos que mais gostamos, para indicar que é o da famosa dermatologista paulista Ligia Kogos.
Dica de um dos melhores Hidratantes para Grávidas do Mercado da Dermatologista Ligia Kogos


Graças a combinação de ativos, como Uréia, Óleo de Semente de Uva e o Óleo de Amêndoas, este creme dela proporciona máxima hidratação, resultando na prevenção de estrias e melhorando a elasticidade da pele, por isto mesmo é recomendado para mulheres do inicio ao final da gestação, para ser aplicado em todo o corpo, após o banho ou sempre que necessitar hidratá-lo ou a critério médico. Um dos diferenciais esta de que ele não tem cheio, como muitos enjoativos que existem, assim minimiza o risco com muitas mulheres mais sensíveis aos cheiros durante a gestação, o que é bem comum.

Detalhe da composição é que ele contém Uréia 3%, Óleo de Semente de Uva, Óleo de Amendoas, Colágeno Hidrolizado, Elastina e Alantoina, em percentuais permitidos e recomendados pela Anvisa.

E o melhor de tudo é que ele custa mais barato do que as maiorias, em especial os importados, nem por isto é pior, pelo contrário. Faz tanto sucesso que vendemos bastante há muitos anos nas lojas da Zazou em São Paulo e Rio.
Número de Visualizações: 1217

Cremes e tratamentos mantêm beleza da pele durante gravidez

Durante os nove meses mais especiais da vida de toda mulher, além dos enjoos e das diversas alterações hormonais, alguns probleminhas estéticos, como as estrias e o inchaço, ganham ainda mais força, gerando bastante desconforto em frente ao espelho.

Apesar disso e ao contrário do que muita gente imagina, é possível aliviar a insatisfação com a aparência durante a gestação adotando alguns cuidados especiais que não prejudicam em nada a saúde do bebê e da futura mamãe. Simples de seguir no dia a dia, o ritual de beleza da pele nesta fase deve contemplar, principalmente, a hidratação do tecido cutâneo.

Por isso, o ideal é usar cremes feitos à base de vitamina C no rosto que, além de hidratarem, têm a função de proteger e clarear as manchas faciais que costumam aparecer ou escurecer neste período. Já no corpo, a dica é optar por cremes hidratantes formulados com ureia, ideais para prevenir ressecamentos.

Além disso, vale a pena aplicar soluções com DMAE no rosto. A substância, encontrada em peixes, é capaz de combater a flacidez, amenizar vincos e rugas e ainda proporcionar uma aparência mais jovem. Outra opção são os cremes com silicone e óleos vegetais que também garantem um efeito hidratante à pele da gestante.

Para auxiliar no combate às implacáveis estrias durante a gravidez, a dica principal é evitar o ganho excessivo de peso ao longo dos nove meses e apostar no uso diário de óleos vegetais que cumprem bem a função de evitar o rompimento das fibras elásticas, assim como de cremes com vitamina E que melhoram a elasticidade da cútis. Além disso, logo depois do último semestre de gestação e do nascimento do bebê, alguns tratamentos estéticos feitos com supervisão médica podem ser aderidos sem medo.

Mesmo durante a amamentação, tanto lasers combinados quanto cremes e peelings podem ser empregados nas áreas com estrias. No entanto, para que os efeitos sejam alcançados, os procedimentos devem ser feitos o mais rápido possível, enquanto as estrias ainda estão avermelhadas.

Apesar de algumas técnicas serem liberadas pelos médicos, outras, como os peelings químicos, são contraindicadas. Isso porque o ácido retinóico utilizado nesse tipo de método, assim como o ATA (ácido tricloroacético), podem causar má formação fetal. Bastante utilizados, os aparelhos de radiofrequência também devem ser evitados nesta fase devido à corrente elétrica que pode perturbar o equilíbrio do feto, aumentando, assim, o risco de aborto. A aplicação da toxina botulínica e a esclerose dos vasos também não são recomendados, pois pode alcançar a circulação placentária.

Comuns na gravidez, a retenção de líquido e o inchaço nos pés podem ser controlados com exercícios físicos de pouco impacto, como hidroginástica, natação e caminhadas, capazes de melhorar o retorno venoso. Além disso, sessões de drenagem linfática conduzidas por um profissional habilitado, logo após o final do primeiro trimestre de gestação, também são recomendadas.
Número de Visualizações: 840

Uso do Sutiã Especializado para Gestante Durante a Gravidez

Durante a gravidez os seios alcançam seu desenvolvimento máximo, ficam maiores e, para muitas mulheres, mais sensuais. O problema é que depois que o bebê nasce e após o término do período da amamentação, o tamanho volta a reduzir e eles podem ficar mais flácidos. Para evitar esse problema, que incomoda muita gente, dormir de sutiã pode ser uma alternativa!

Como as mamas são supersensíveis à atuação dos hormônios, do primeiro ao terceiro mês de gestação elas crescem bastante, justamente quando a produção deles está alta. E o sutiã, que serve para deixar a mulher mais bonita, ajuda na sedução e outras coisas mais, tem a função de sustentar os seios, que tendem a “cair” por causa do peso, ao longo da vida. Como na gravidez esse peso vai aumentar, a recomendação médica é usar o sutiã próprio para grávidas até para dormir.

Sendo que os tops de algodão, mais confortáveis, de algodão e sem costura, também podem fazer sua parte. Por mais que pareça que vá incomodar, na verdade para muitas grávidas ele pode ser um alívio na hora de deitar, melhorando o sono. Não é uma obrigação, mas pode trazer benefícios.

O crescimento dos seios durante a gravidez acontece porque, desta forma, adquirem as características necessárias para desempenharem a sua função, que é a produção de leite para alimentar o bebê. É por isso que, ao longo de toda a gravidez, a influência de determinadas hormônios, sobretudo da progesterona, proporciona alterações evidentes. Ao longo do primeiro trimestre da gestação, os seios incham e aumentam de peso, costumam estar hipersensíveis, sobretudo nos mamilos, o que pode tornar intolerável qualquer atrito ou carícia.

Mas a mama não irá necessariamente ficar mais flácida depois da gravidez e, especialmente, da amamentação. Isso varia muito para cada mulher. Há casos em que não há flacidez, mas o cuidado precisa ser constante, o ideal é hidratar a pele com cremes para que as fibras não se rompam tanto.

Lembrando de que a Zazou tem uma linha completa de lingeries com modelagem própria para as necessidades das mudanças no corpo da gestante, como o caso do crescimentos dos seios, que precisam de uma atenção especial.
Número de Visualizações: 1267

Vídeo = Cuidados com a Beleza e o Corpo durante a Gravidez

Vejam abaixo algumas dicas de uma especialistas sobre os cuidados com a beleza e seu corpo durante a gravidez em que você pode aprender a evitar celulite, estria e varizes durante a gestação.
Número de Visualizações: 1081

Vídeo = Aprenda como Evitar as Estrias na Gravidez!

Vejam no vídeo abaixo as dicas práticas de uma especialista de como Evitar as Estrias na Gravidez!
Número de Visualizações: 694

Video = Produtos de Beleza Usados na Gravidez

Trago hoje um vídeo com dicas de uma blogueira grávida Letícia Borghetti do Blog Depois de Casada sobre os produtos de beleza que ela tem usado na gravidez.
Número de Visualizações: 803

Sol durante a gravidez

Com o ver\ão chegando, algumas grávidas ficam com dúvidas se podem tomar sol normalmente. Quem tem esta dúvida pode ficar despreocupada. As gestantes não precisam fugir do sol em nenhuma fase do ano, incluindo durante o verão. Na verdade, é até melhor que tenham contato com o sol, especialmente porque isso ajuda na produção de vitamina D, que auxilia no metabolismo do cálcio, sem trazer nenhum risco para o bebê.

Existem, entretanto, algumas situações peculiares da gravidez relacionadas à mudança hormonal típica da fase. Por isso, os cuidados devem ser dobrados. Naturalmente, na gestação, a pele fica mais sensível à luz. A melanina, hormônio responsável pelo escurecimento da pele, dobra sua produção. Assim, as manchas são, depois do câncer de pele, o maior risco dermatológico. Em especial, aquelas manchas no rosto e no abdome, chamadas de melasmas são difíceis de tratar.

Além disso, na gravidez, a pele tende a ficar mais oleosa e algumas mulheres podem sofrer com acnes e espinhas. Isto ocorre especialmente em dias quentes quando os poros acabam se abrindo mais na transpiração. Portanto, vale dar algumas dicas essenciais para o verão aqui:

- Procure hidratar-se muito. Tome bastante líquido e não se esqueça de hidratar também a pele, passando cremes que a mantenham umedecida;
- Escolha períodos do dia para se expor à luz solar, preferencialmente no início da manha e no final da tarde, quando os raios ultra-violeta são mais amenos;
- Não se esqueça de ter sempre por perto o óculos de sol, o boné (ou chapéu) e o guarda-sol, caso pretenda ir à praia ou à piscina;
- O protetor solar deve ser usado sempre, em dias com ou sem sol, e deve ter um fator maior do que 50.

Os cuidados com o sol, portanto, precedem a exposição, e devem também continuar após o banho de sol. É preciso hidratar sempre e, de tempos em tempos, também vale uma esfoliação à base de produtos naturais, que acabam ajudando na absorção dos hidratantes.

Tomar sol, que também é fonte de saúde para a mulher durante a gravidez, irá ajudar a gestante a sentir-se mais bonita em meio a todas as mudanças que o corpo sofre durante este período.
Número de Visualizações: 613

Vídeo = Cuidados com a pele na gestação

Vejam um vídeo abaixo de uma grávida falando dos cuidados que ela esta tendo com a pele na sua gestação.


E você o que esta usando?
Número de Visualizações: 647

16 Principais Queixas das Grávidas e Como Resolve-las

A boa notícia ao começar este post é que a maioria das queixas apresentadas a abaixo, que atinge a maioria das grávidas, diminui ou desaparece sem o uso de medicamentos. Os medicamentos devem ser evitados ao máximo. Mas caso essas queixas não desapareçam ou sejam persistentes podem ser manifestações de doenças mais complexas.

1- Náuseas e vômitos

São comuns no início da gestação. Quando ocorrem no final da gestação podem estar associados a doenças importantes, devendo ser sempre comunicado ao seu médico. As orientações para a gestante são as seguintes: fracionar a dieta (comer mais vezes e menos a cada vez), evitar frituras, gorduras e alimentos com cheiro forte ou desagradável; evitar líquidos durante as refeições e ingeri-los de preferência nos intervalos. Quando os sintomas forem muito frequentes seu médico irá avaliar a necessidade do uso de medicações.

2- Azia e queimação

É comum a partir do segundo trimestre da gestação. Geralmente melhora com dieta fracionada, diminuindo as frituras, café, chá, pimenta, chimarrão, álcool e fumo. Medidas gerais como não deitar após as refeições e elevar a cabeceira do leito também são benéficas. A critério médico, a gestante poderá fazer uso de medicamentos.

3- Excesso de saliva

Muito comum no início da gestação, orienta-se deglutir a saliva e seguir mesmo tratamento indicado para náuseas e vômitos.

4- Fraquezas e desmaios

Podem acontecer após mudanças bruscas de posição e também quando a gestante ficar sem se alimentar. Gestantes não devem fazer jejum prolongado. Geralmente deitar de lado (esquerdo preferencialmente) respirando calma e profundamente melhora a sensação de fraqueza e desmaio.

5- Hemorróidas

São comuns principalmente nos últimos três meses de gestação, após o parto e também em gestantes que já apresentavam o problema antes da gravidez. As gestantes devem procurar manter o hábito intestinal regular (manter o intestino funcionando bem). Sempre que as fezes estiverem endurecidas, causando dificuldade para evacuar, as hemorróidas podem sangrar ou doer. Dietas ricas em fibras e a ingestão de líquidos auxiliam o funcionamento dos intestinos.

6- Corrimento vaginal

O aumento do fluxo vaginal (leucorréia, corrimento) é comum em gestantes. O fluxo vaginal normal não causa coceira, mau cheiro, ardência ou dor nas relações. Consulte seu médico se apresentar os sintomas acima. Quando ocorre ruptura da bolsa das águas (um dos sinais de parto) a paciente pode referir aumento do corrimento vaginal. É sempre necessário avisar seu médico quando houver suspeita de ruptura da bolsa com saída de líquido amniótico.

7- Queixas urinárias

O aumento do número de micções é comum na gestação, principalmente no início e no final da gestação por aumento uterino e compressão da bexiga. Como a infecção urinária é mais comum em gestantes, sempre que houver ardência para urinar, dor, sangue na urina ou febre seu médico deve ser comunicado.

8- Falta de ar e dificuldade para respirar

O aumento do útero e o aumento da frequência respiratória da gestante podem ocasionar esses sintomas. Geralmente o repouso, deitada de lado, alivia a sensação de falta de ar. Se houverem outros sintomas associados (tosse, febre, inchaço) pode haver doença cardíaca ou respiratória associada.

9- Dor nas mamas

As mamas aumentam de volume durante a gestação o que frequentemente causa dor. A gestante deverá usar um sutiã com boa sustentação. O exame das mamas geralmente descarta problemas mamários mais graves.

10 - Dor nas costas e dor lombar e dor articular

Durante a gestação as articulações ficam com maior mobilidade e isto frequentemente ocasiona dores nas costas e em articulações como o joelho e o tornozelo. As gestantes geralmente têm uma postura que provoca dores nas costas (aumento da lordose lombar - colocar a barriga para frente e o quadril para trás). O aumento excessivo de peso também aumenta a incidência de dores osteoarticulares. Pode-se prevenir ao evitar aumento excessivo de peso, fazer exercícios regularmente, manter uma postura adequada, evitar uso de saltos altos e desconfortáveis.

11- Dor de cabeça e cefaléia

Dores de cabeça mais frequentemente estão associadas a tensões, conflitos e temores, entretanto podem estar associadas a doenças mais sérias. Sempre deve ser afastada a presença de pressão alta. Seu médico avaliará a necessidade do uso de medicações.

12- Sangramento nas gengivas

Durante a gestação é mais comum o sangramento de mucosas (nasal, gengival) pois, além de uma maior vascularização nas mucosas, seus pequenos vasos sanguíneos ficam mais frágeis. A causa mais frequente de sangramento gengival é a inflamação crônica da gengiva. A gestante deve escovar os dentes com escova macia, massagear a gengiva e passar fio dental. Esse sintoma deve ser relatado a seu médico (ocasionalmente pode estar associado a outros problemas da coagulação do sangue) e ao dentista.

13 - Edema na pernas e inchaço

Principalmente no final da gestação ocorre inchaço de membros inferiores. Quando não estiver associado à perda de proteínas na urina e à pressão alta geralmente reflete o acúmulo de líquido característico da gestação. Existem posições que dificultam o retorno venoso (volta do sangue das pernas para o coração). Gestantes com edema não devem ficar em pé (paradas) ou sentadas durante muito tempo. É recomendável exercitar as pernas (caminhar). O edema diminui na posição deitada (preferencialmente sobre o lado esquerdo) e também com a elevação das pernas acima do nível do coração. Outra medida importante é retirar anéis dos dedos da mão, pois ocasionalmente ocorre edema nas mãos e dificuldade de retirada desses adornos.

14- Cãibras

Podem ocorrer durante a gestação, geralmente após excesso de exercício. Quando ocorre, o músculo deve ser massageado, podendo-se aplicar calor no local.

15- Manchas no rosto

Manchas escuras na pele podem ocorrer durante a gestação. Essas costumam diminuir em até 6 meses após o parto, entretanto em algumas mulheres persistem. São manchas semelhantes àquelas que ocorrem pelo uso de anticoncepcional oral. Gestantes que apresentam essas manchas devem evitar a exposição ao sol.

16 - Estrias

As estrias são resultado da distensão dos tecidos. Modo eficaz de preveni-las não existe. Não engordar muito é importante para diminuir sua incidência, entretanto existe predisposição individual a apresentar estrias. Ainda que controverso, recomenda-se massagem com substâncias oleosas nos tecidos mais propensos a estrias (abdômen, mamas e coxas). Seu médico poderá lhe indicar um creme para massagear a pele. Sobre o mamilo não devem ser aplicados cremes. As estrias são inicialmente arroxeadas e com o tempo ficam branquicentas.
Número de Visualizações: 717

Problemas de pele podem afetar mulheres durante a gestação

A gravidez se traduz como um momento especial para muitas famílias e futuras mães, no entanto a gestação traz também mudanças no corpo que exigem cuidados especiais com a saúde. Segundo as dermatologistas, existem problemas de pele específicos que afetam mulheres gestantes. Isto porque este é um período em que o corpo passa por fortes alterações hormonais e quem sofre com isso é a pele.

Entre os problemas mais comuns estão a: hiper pigmentação, aumento de pelos, excesso de oleosidade, aparecimento de estrias, varizes, alteração na cor das gengivas e enfraquecimento das unhas.

Muitas mulheres estranham o escurecimento dos mamilos, o aparecimento de manchas no rosto ou em algumas regiões do corpo como o interior da coxa, o abdome, entre outra. Este é um fenômeno absolutamente comum que acontece devido ao aumento dos hormônios que estimulam a produção de melanina.

O aumento de pelos na gestante é outra preocupação comum. O chamado hirsutismo normalmente se dá no rosto, mas também pode ser percebido em outras partes do corpo como braços e pernas, e costuma regredir depois de seis meses do nascimento, segundo a dermatologista.

Mudanças nos cabelos também podem acontecer, geralmente durante a gestação, devido aos elevados níveis do hormônio estrogênio, o período de crescimento dos fios fica prolongando. No entanto, após o nascimento do neném é comum o efluvio telogeno, ou seja, uma queda de cabelo programada, que ocorre cerca de três meses após o parto. A pele pode se tornar um pouco mais oleosa, o que favorece o aparecimento de espinhas, mas a tendência é que retorne ao normal no pós-parto.

Talvez uma das principais preocupações seja a formação de estrias e varizes no período da gestação. São duas coisas de origem diferente, mas que incomodam igualmente, pois deixam marcas desagradáveis nos seios, na barriga e nas pernas.

As estrias em geral aparecem no segundo trimestre e são consequência do ganho de peso e da sobrecarga na elasticidade da pele nesse período. Elas continuem após o parto, quanto mais precoce for iniciado o processo de tratamento das estrias, quando ainda estão avermelhadas ou arroxeadas, melhor será o resultado. Massagens com cremes e óleos ajudam a evitar o aparecimento das estrias. Lembrando logicamente de que as estrias também tem fator genético.

Já as varizes, se formam por conta do aumento da quantidade de sangue que corre nas veias e também pelo aumento e peso no abdômen. Os tratamentos mais eficazes e seguros para eliminação das varizes devem ser realizados após o término da gestação.

São todos problemas usuais na gestação e que não exigem pânico. O importante é cuidar da saúde e da alimentação, fazer massagens e curtir o bebê que vai chegar. Lembre-se que seu corpo está passando por mudanças para receber essa nova vida e por isso essas e outras alterações podem ser sentidas. Cuide-se!
Número de Visualizações: 713

O que muda no corpo durante a gravidez?

A gravidez é um momento especial na vida das mulheres, que passam por uma série de mudanças, sejam elas fisicas, sejam emocionais. E gostaria de comentar sobre algumas destas transformações:

1) Boca

Apesar dessa ser uma época em que não faltam motivos para sorrir, os dentes ficam mais fracos e sujeitos a cáries, pois há diminuição do cálcio. As gengivas também sofrem com inchaços e sangramentos. Mantenha o tratamento dentário em dia para evitar complicações. Estudos mostram que quem sofre de periodontite, inflamação mais grave na gengiva, tem mais chance de ter diabetes gestacional.

2) Cabelo

Ele vai ficar mais bonito na gestação. Aproveite! A produção de HCG, hormônio responsável por manter a gravidez, aumenta os níveis de progesterona e, consequentemente, a oleosidade capilar. Se usar um xampu específico para esse problema, a tendência é que ele fique saudável e brilhante. Depois do parto os fios costumam cair. Prepare-se e adiante com seu médico um bate-papo sobre complexo vitamínico, que ajuda a reverter o quadro.

3) Rosto

Você já deve ter ouvido falar nas temidas manchas escuras na pele. Sim, é verdade, elas acontecem porque há um aumento da produção de melanina, que pode causar esses melasmas. Evitar é fácil: use protetor solar diariamente. Se aparecer acne, combata com cremes específicos (e fuja dos ácidos retinoicos). E não se esqueça: grávida elegante usa chapéu e óculos escuros na praia. ALém logicamente de um biquini ou maiô para gestante da Zazou, é claro...

4) Seios

Abuse dos decotes! No início da gravidez você pode sentir um pouco de dor nos seios, depois vai perceber que estão mais sensíveis e maiores. Use roupas que valorizem o colo (macacões e vestidos vão estar na moda, e na Zazou vai encontrar vários com esta modelagem e cuidado). O inchaço acontece por causa da quantidade de vasos sanguíneos na área (o que é bom para a produção de leite). Para evitar a flacidez, use sutiã com sustentação reforçada. Para preparar seus seios para a amamentação, depois da 12ª semana, esfregue-os com uma toalha, sem hidratá-los.

5) Barriga

O aparecimento da barriga, que é aliás um dos momentos de maior expectativa, depende da quantidade de peso que você ganha, mas, a partir do 3º mês, ela já tem o formato arredondado típico da gravidez. Maneire na alimentação, pois o ideal é que você engorde de 8 a 12 quilos no total. Pesquisas mostram que os filhos das mulheres que ganharam peso em excesso na gestação têm mais chances de serem obesos também. A circunferência da barriga varia de acordo com o tamanho do bebê e o volume de líquido amniótico, mas, perto do 5º mês, aumenta em torno de um centímetro por semana. Aproveite para desfilar seu barrigão, mas lembre-se que, no trabalho, não é de bom-tom deixá-lo à mostra!

6) Partes Intimas

Encare a mudança da cor da vulva como uma notícia boa: significa que está chegando a hora de você ter seu bebê. Como toda notícia, tem um lado B: ela vai ficar arroxeada e inchada. Essas mudanças são uma preparação para o parto e acontecem porque o organismo desvia sangue para as mucosas. Para evitar as hemorroidas, procure ir ao banheiro só quando estiver com vontade, não faça força e, se estiver em casa, prefira tomar banho a usar o papel higiênico. Coma alimentos que soltem o intestino, como o mamão. E beba muita água.

7) Quadril

Não pense na celulite que pode aparecer no segundo trimestre, resultado do aumento de retenção de líquido. Pense que será uma boa desculpa para fazer duas ou três seções de drenagem linfática por semana. Como você não pode usar cremes contra celulite, previna as estrias com cremes específicos para grávidas e óleos de semente de uva e amêndoas.

8 ) Pernas

Logo o clima começa a esquentar e suas pernas vão pedir por mais descanso. Peça um banquinho no trabalho para ficar com as pernas estendidas duas vezes por período. Esse inchaço piora a partir do segundo trimestre, quando o bebê fica pesado e comprime os vasos sanguíneos. Para diminuir o desconforto, maneire no sal e, durante a noite, coloque as pernas para cima por pelo menos uma hora.
Número de Visualizações: 636

8 mitos e verdades sobre o surgimento de manchas na pele durante a gestação

Após o primeiro trimestre da gestação, muitas futuras mamães começam a notar o escurecimento dos mamilos e o aparecimento de manchas acastanhadas na pele. A mudança na tonalidade ocorre devido às alterações hormonais típicas desta fase, e pode tanto sumir após o parto, como se tornar permanente e necessitar de tratamento.

Procedimentos invasivos não são indicados, pois ao invés de solucionar o problema, podem causar efeito rebote e produzir mais pigmento na área. O melhor mesmo é investir em métodos suaves como cremes manipulados e peelings superficiais seriados.

Veja abaixo explicação de oito mitos e verdades sobre o surgimento de melasmas durante a gestação com o dermatologista na Clínica D'Castro em São Paulo Denner de Castro:

1- A gravidez pode causar manchas na pele

Verdade. Uma alteração hormonal, causada pelo aumento de progesterona no organismo, potencializa a produção de pigmentos da pele e com isso forma manchas. O problema fica ainda maior quando há grande exposição ao sol.

2- É possível prevenir ou evitar manchas

Mito. Não existem formas de evitar a formação de melasmas na gestação, uma vez que a causa tem fundo hormonal. No entanto, é possível amenizar a situação evitando o sol, do contrário, é necessário aplicar uma generosa camada de protetor solar.

3- Manchas podem sumir naturalmente após o parto

Verdade. Em algumas pacientes a diferença na tonalidade da pele regride, porém em outras mamães há o risco do melasma se tornar permanente. Tudo dependerá do satisfatório funcionamento orgânico de cada pessoa.

4- Braços e colo são os lugares mais comuns para o surgimento de manchas

Mito. Raramente os melasmas aparecem nestas regiões, apesar de estarem constantemente expostas. As áreas mais afetadas são o rosto, as axilas, a virilha e o abdômen.

5- O surgimento de manchas depende do tom de pele

Verdade. Peles morenas e negras carregam mais pigmentos e, por isso, têm mais facilidade em sofrer com melasmas. A dificuldade de recuperação com tratamento também é maior para esse fototipo.

6- Melasmas são reversíveis

Verdade. O problema pode ser tratado com peelings químicos, medicação tópica ou laser. Esta última opção é a melhor escolha, pois oferece resultados mais eficientes.

7 - Após o tratamento, a pele recupera o tom uniforme

Mito. Apenas em poucos casos a pele consegue se recuperar totalmente. Na maioria dos casos, há uma melhora de 60% a 70%, mas o pigmento residual permanece e pode voltar a escurecer se os cuidados com proteção solar não forem tomados.

8- O problema deve ser tratado somente após a gravidez

Verdade. Isso porque tanto os tratamentos estéticos quanto os medicamentos tópicos podem apresentar riscos à gravidez.

Manchas acastanhadas costumam surgir durante a gravidez ou mesmo após o parto devido a alterações hormonais que estimulam o aumento de pigmentação. Além disso, a exposição solar sem os devidos cuidados ajuda a escurecer ainda mais determinadas regiões do corpo, como axilas e virilha. Embora os tratamentos ofereçam resultados satisfatórios para clareá-las, na maioria dos casos a pele não recupera o tom original.

E você, sofreu com manchas na gravidez? Conte sua experiência nos comentários deste post...
Número de Visualizações: 713

Vídeo = Cosméticos na gestação

Quais os produtos de beleza e cosméticos vocês tem usado durante a sua gestação?

Vejam no vídeo abaixo as dicas de uma grávida contando e mostrando quais ela tem usado....
Número de Visualizações: 719

Video = O que pode e o que não pode ser usado na gravidez?

Como vocês estão tratando sua beleza durante sua gravidez?

No vídeo abaixo algumas dica para grávidas com a dermatologista Lígia Kogus, do que pode e o que não pode ser usado na gravidez? Tinturas? Depilação? Botox? Pealing com ácidos? Bronzeamento? Filtro solar? Loção contra queda de cabelo? Tratamentos para acne? Limpeza de pele? Clareamento dos dentes? Massagens e drenagens? Celulites?
Número de Visualizações: 670

Vídeo = Tratamento de Beleza na Gravidez e no Pós-Parto Durante a Amamentação

Trago mais uma edição do Programa Na Moda, apresentado pela jornalista e designer de moda Érika Okazaki, desta vez falando dos tratamentos de beleza na gravidez e no pós-parto durante a amamentação.
Número de Visualizações: 1008

Aprenda a cuidar do cabelo durante a gravidez e saiba o que é proibido

Grávida pode pintar o cabelo?

Juliana Paes, Carolina Dieckmann e Drew Barrymore pintaram!
“Não existem estudos que comprovem a total segurança ou o risco da tintura de cabelo”, afirma Mariana Lautenschlager, ginecologista. “Mesmo assim, quando usar, o ideal é que o produto não tenha amônia e que a formulação tenha registro na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)”, sugere.


A recomendação, no entanto, é que a tintura não seja aplicada até o final do terceiro mês de gestação e não fique em contato com a raiz.

Juliana Paes, por exemplo, aderiu à técnica do ombré hair, que prevê o clareamento de mechas a partir do meio do cabelo, enquanto estava esperando Antonio, desta forma o couro cabeludo não absorve a tinta. No Instagram, a atriz escreveu: "Hoje em dia grávida pode tudo. É só usar os produtos certos!!! Cuidado, mamães!!". Carolina Dieckmann fez o oposto: na segunda gestação, de José, cobriu as mechas com a cor natural dos seus fios. Assim a mulher evita retoques. E para manter a cor por mais tempo, também pode usar filtro solar capilar, por exemplo.

Formol, glutaraldeído, amônia, iodo e chumbo são substâncias proibidas. Na hora de mudar o visual, vale a pena dar uma olhada na composição da tinta e pedir recomendação médica.

Alisamento e permanente tradicionais, que contém formol na fórmula, também estão proibidos. Os métodos que mudam a estrutura da fibra capilar necessitam de agentes químicos agressivos, como o formol, que pode causar malformação fetal. As alternativas para alisar ou enrolar o cabelo, portanto, são a chapinha e o secador. Métodos físicos não representam qualquer risco a gestante ou ao bebê.

Durante a gravidez, o cabelo muda por causa da carga hormonal, que é diferente nesse período. O cabelo exige um cuidado diferenciado: shampoo e condicionador adequados, mudança na frequência da lavagem e hidratação.
Número de Visualizações: 716

Video = Fazer Luzes no Cabelo na Gravidez

Vejam no video abaixo como fazer luzes no cabelo durante a gravidez, no passo a passo de como ficar uma grávida bonita, mas sem abrir mão da saúde.


E vocês tem feito luzes ou alguma tintura no cabelo na sua gravidez?
Número de Visualizações: 751

Pode usar acetona durante a gravidez?

Para associação de médicos britânicos, gestante deve limitar ao mínimo possível uso de cosméticos, hidratantes e sabonetes líquidos. No entanto, grávidas podem usar sim o removedor de esmalte, como a acetona.

Segundo todos os especialistas consultados sobre este assunto, o uso de acetona para retirar o esmalte das unhas não traz riscos à gestante e ao bebê.
“Vale lembrar que a gestante não deve aspirar o produto. Portanto, mantenha-o longe do nariz ou use um ventilador”, recomenda o dermatologista da Sociedade Internacional de Dermatologia Cosmética, Gilvan Alves.
Número de Visualizações: 885

Video = Maquiagem Especial para Gestante

Quem disse que grávida não deve se cuidar e estar sempre linda bem vestida e maquiada?

Pois para estas que querem estar ainda mais belas durante a gravidez, segue um vídeo com dicas de maquiagem para grávidas com a maquiadora Ariane Ferrari, falando de maquiagem especial para gestante com a participação especial da Gabi do canal primeira gravidez.
Número de Visualizações: 979

Video = Cuidados de Beleza e Estética na Gestação

O programa Espaço Online, apresentado por Luciana Ferreira, recebe Ismara Toledo, da Peel Line, que fala sobre os cuidados que as gestantes podem ter com a beleza e a estética antes, durante e dois da gravidez. Confira as dicas no vídeo abaixo.
Número de Visualizações: 928

Varizes na gravidez = Dicas práticas do que fazer, como evitar e tratar o problema

Varizes são veias dilatadas que surgem nas pernas e podem causar dores, incômodos e inchaços. O problema acomete mais as mulheres do que os homens e, principalmente, as grávidas. Uma em cada três gestantes sofrem com as veias dilatadas, mas a boa notícia é que, na maioria dos casos, o problema multifatorial se resolve após o nascimento do bebê. Disfunção hormonal, aumento do peso e do volume do útero são algumas das causas.

Tire as principais dúvidas sobre o tema abaixo:

1) Por que as grávidas têm mais varizes?

Além das alterações hormonais, ocorre o aumento do abdômen da mulher, que faz maior pressão nos vasos da pelve, provocando o aumento dos vasos pélvicos e também os das pernas. "Outros fatores na gestação como o aumento de sangue circulando no corpo, aumento da produção de progesterona e aumento do peso faz com que haja uma dilatação das veias das pernas, podendo gerar varizes novas ou aumentar as já existentes", destaca o angiologista Ary Elwing, especialista em cirurgia vascular periférica e tratamento a laser.

2) Como evitar as varizes?

De acordo com o angiologista e secretário geral da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) Celso Bregalda Neves, evitar o ganho de peso em excesso, fazer exercícios e usar meia elástica são as maneiras mais fáceis de prevenir as varizes. "É importante ficar no limite do peso estipulado pelo médico, enquanto o exercício facilita a circulação de sangue nas pernas", explica.

O angiologista Ary Elwing sugere ainda apostar em massagens como a drenagem linfática manual, feita por especialistas em gestantes, que ajudam a reduzir os inchaços e melhoram o fluxo sanguíneo. "Procure também escolher sapatos com salto entre 3cm e 5cm de altura, que estimulam a musculatura da panturrilha e ajudam na circulação do sangue nas veias, e não permaneça sentada ou em pé por mais de 40 minutos seguidos. Procure revezar a posição para estimular o fluxo sanguíneo", complementa.

3) O que fazer: meia elástica ou pernas para o alto?

As meias elásticas evitam o inchaço porque facilitam o direcionamento do sangue das veias superficiais para as veias profundas, que estão no meio do músculo e promovem a volta mais adequadamente do sangue ao coração, como explica Celso Bregalda. "Mas se a mulher se dá bem com a meia, não há necessidade de colocar as pernas para o alto, pois as meias simulam a compressão de quando as pernas estão para cima", diz. Use a partir do segundo trimestre, ou seja, no quarto mês de gravidez, todos os dias, colocando pela manhã e retirando na hora de dormir. "Mas o uso inadequado pode piorar a situação. O correto é a mulher que já tem varizes usar uma com maior compressão, e a que nunca teve, a meia com menor compressão", salienta Celso.

Lembrando de que vendemos estas meias de compressão nas lojas da Zazou. São um sucesso de vendas.

4) Como tratar as varizes na gravidez?

Não há comprovação científica de que cosméticos eliminem varizes ou possam refazer as paredes de uma veia danificada, mas existem cremes que aliviam alguns dos sintomas das veias dilatadas. As aplicações locais eliminam o problema, mas não são indicadas para as gestantes, pois na maioria dos casos as varizes desaparecem após o puerpério. "O que eu digo às minhas pacientes é que o melhor tratamento é esperar o nascimento. Por volta dos três ou seis meses após o parto, é comum que as varizes sumam naturalmente, por conta da estabilidade hormonal e também a volta do peso da mulher", garante Celso Bregalda.

5) É perigoso ter varizes durante a gestação?

Os especialistas explicam que, normalmente, não há grandes riscos em relação às varizes durante a gestação, nem para a mãe, tampouco para o bebê. O local fica inchado, pode coçar e até doer, mas não é comum que causem problemas circulatórios crônicos ou levem a coágulos de sangue, ou seja, trombo. "Apenas 5% das pessoas que já apresentam varizes desenvolvem pequenos coágulos de sangue nas veias”, diz Ary Elwing.

No entanto, se houver vermelhidão e sensibilidade na superfície das varizes, além de febre, dor nas pernas ou taquicardia, é importante conversar com o médico o mais rápido possível. "Em poucos casos, taquicardia ou falta de ar repentina podem ser sinais de embolia pulmonar, quando um coágulo migra para os pulmões. Por isso, na dúvida, é fundamental investigar os sintomas e buscar tratamento", alerta o angiologista.
Número de Visualizações: 860

Tomar sol durante a gravidez exige cuidados

Todo mundo gosta de desfilar com um belo bronzeado por aí, e para as grávidas não é diferente. O período, no entanto, exige cuidados e intensa hidratação como indica o médico Fernando Freitas, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
“Estimular os melanócitos, células que produzem a melanina, torna a pele mais saudável e protegida. Porém, durante a gravidez, ela está mais sensível e os cuidados devem ser maiores. A hidratação externa, com cremes e óleos, e a interna, com a ingestão de líquidos como água e sucos naturais, são extremamente importantes.”


Segundo a dermatologista Thais Pepe, do Complexo Hospitalar Santa Joana e Pro Matre Paulista, a gestante é mais propensa a desenvolver melasmas, manchas amarronzadas que lembram o formato de asas de borboleta, além de outras marcas onde a pele está mais esticada, como a barriga. 4
“O ideal é a grávida aplicar filtro de proteção solar a partir do fator 50 e restringir o horário do banho de sol até às 10h e depois das 15h, quando a incidência dos raios ultravioleta é mais amena”, afirma a doutora, que também aconselha o uso de chapéu e guarda-sol.


Como na gravidez a pele tende a ficar mais oleosa, algumas mulheres podem sofrer com acnes e espinhas, especialmente em dias mais quentes quando os poros se abrem. Neste caso, a esfoliação à base de produtos naturais é uma boa escolha e ainda ajuda na absorção dos hidratantes. O tratamento de manchas ou estrias, porém, deve aguardar.
“A utilização de ácidos não deve acontecer até o final da amamentação”, recomenda o dermatologista Fernando Freitas.


As futuras mamães não precisam fugir do sol, mas devem se preparar para aproveitá-lo da melhor maneira possível.
“Ele ajuda na produção de vitamina D, que auxilia na absorção de cálcio, e não causa incômodo ao bebê”, aponta a dermatologista Thais Pepe.
Número de Visualizações: 861

Video = Yoga + Massagens + Ginástica + Depilação na Gravidez

Vejam abaixo um video com dicas bem legais de especialistas sobre beleza e saúde na gravidez do Programa Tudo de Bom com a apresentadora Renata Queiroga.
Número de Visualizações: 863

Parceria da Zazou com a Weleda Vai Presentear as nossas Clientes Grávidas com o Óleo contra Estrias na Gravidez

A Zazou não para de inventar! E de criar Moda!

Queriamos contar, que fechamos mais uma parceria bem legal, com mais uma grande marca do segmento de gestante e bebê, que logicamente esta como sempre bem alinhada com nossa visão, proposta e padrão de qualidade, com produtos diferenciados. Pois queremos oferecer mais um diferencial para nossas clientes grávidas.

Por isto, vamos presentar até o dia das mães as nossas clientes grávidas com um óleo contra estias na gravidez da Weleda!
Parceria da Zazou com a Weleda Vai Presentear as nossas Clientes Grávidas com o Óleo contra Estrias na Gravidez


Venha até uma das lojas da Zazou nos conhecer, faça uma compra, e ganhe um destes mimos que preparamos para vocês.

A Zazou tem loja em Moema em São Paulo (Av. Juriti, 433 | 11-3846-6511), ou então em Ipanema no Rio de Janeiro (Galeria do Forum de Ipanema | 21-2247-4645). Ou ainda para todo o Brasil através do telefone ou loja virtual, com envio por Sedex.

Lembrando de que ainda este mês, para quem for na loja, temos também um sorteio de uma sessão de fotos e book de gestante com a fotografa Dri Bresciani!
Número de Visualizações: 1156

Maquiagem na Gravidez

É muito comum ouvi algumas grávidas com dúvcidas perguntarem se faz mal alisar os cabelos ou pintar os cabelos durante a gravidez? Ou mesmo se maquiagem nesta fase faz mal?

Afim de esclarecer essas duvidas, hoje falaremos sobre maquiagem e alguns cuidados são necessários para manter a saúde do bebê durante os primeiro meses.

Grávida pode usar maquiagem?

A resposta é que sim!

Vocês podem, afinal a maioria dos produtos são de ação física e não química. Eles não penetram na corrente sanguínea, e por isso não fazem mal para o bebê.
Maquiagem na Gravidez com Vera Viel Gravida se Maquiando na Zazou


Mas cuidado pois já para removê-los, você deve utilizar os desmaquilantes a base de óleo e água, os produtos como: rímel, base, blush, delineador, batom, corretivo, sombras em pó ou creme podem ser usado sem medo durante toda a gravidez,os principais componentes usado nesses produtos são corantes inorgamicos (o mesmo usado nos alimentos) e não e absorvido pelo organismo portanto não causa nenhum dano ao bebezinho.

Outra vantagem de usar maquiagem durante a gravidez é que é comum o aparecimento de manchas escuras no rosto (melasmas) e a utilização de base facial, que tem em sua composição o dióxido de titânio, vai agir como foto-protetor físico, formando uma camada que bloqueia a ação da radiação ultra violeta sobre as manchas, aposto que essa você não sabia, viu só como não faz mal, a gravidinha pode deixar de usar maquiagem por outro motivo como o de enjoar só em ver maquiagem pela frente.
Número de Visualizações: 1091

Video = Técnica de Massagem Especial para as Grávidas

Vejam no vídeo abaixo dicas de técnicas de massagem especial para as futuras mães.
Número de Visualizações: 1108

Queda de cabelo é normal na gravidez e pós-parto

Dois inimigos das mulheres grávidas podem ser também um incômodo para os cabelos delas durante e depois da gestação. As mudanças hormonais que ocorrem no organismo feminino e as oscilações emocionais afetam o corpo de uma maneira geral, o humor, e ainda podem causar queda de cabelos. E no pós-parto o problema tende a ser mais grave, mas tem solução.

De acordo com o dermatologista e diretor da regional Rio de Janeiro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD-RJ), Egon Daxbacher, o mais frequente é a queda pós-parto. “Isso é uma coisa temporária, reversível, mas que demora alguns meses para resolver”, explica. Os fatores, segundo o especialista, ainda não são conhecidos e não explicam muito bem o fenômeno.
“Acredita-se que o estresse do momento, que seria o mesmo de pessoas que passaram por cirurgias complicadas ou doenças muito graves”, diz.


Essa perda pode ser abrupta e forte, mas após alguns meses o cabelo volta a crescer.

Já durante a gravidez, os hormônios são uma das explicações. As alterações que o organismo passa durante os nove meses de gestação afetam também o couro cabeludo e os fios, que podem cair. Daxbacher também aponta que novamente o estresse tem seu papel nisso, além de alguma deficiência vitamínica.
“Mas isso a gente quase não vê em grávidas, pois elas fazemreposição de vitaminas”, conta.


As recomendações para tentar lidar com a queda de cabelos e reduzir seu impacto são poucas e aparentemente simples.
“Procurar ter uma gravidez mais tranquila e fazer a reposição de vitaminas. Basicamente é só isso, mas mesmo assim pode ser que aconteça”.


O cabeleireiro e hairstylist Klaaus Caampra, que trabalha na Ophicina do Cabelo, no Rio de Janeiro, ressalta que “até o astral influencia”, mas também lembra da alimentação. “Tudo vai depender de uma boa alimentação, com vitamina A, vitamina B1, B12. Tudo é base de uma boa alimentação”, comenta.

Caampra também lembra que durante esse período não é recomendado que sejam feitos alguns procedimentos como coloração. Produtos químicos podem afetar o bebê. O fato de a mulher não usá-los, ajuda a reduzir quedas.

O cabeleireiro comenta que se o cabelo já estava com problemas, a gravidez pode piorar. “Um cabelo muito fragilizado, uma pessoa que não cuida do cabelo, que tem raízes muito oleosas, isso junto com o hormonal e emocional pode influenciar”. O hair stylist explica que existem produtos para tratamento, mas que não devem ser usados sem recomendação médica. “Primeiro deve ir no dermatologista, antes de vir ao salão”, alerta.
Número de Visualizações: 1206

Evite os desconfortos da gravidez no calor

Mudanças físicas somadas ao calor forte tornam-se um tormento para as grávidas, que costumam sofrer com queda de pressão, manchas na pele e inchaço das pernas durante o verão. Para reduzir esses terríveis sintomas, medidas simples devem ser incorporadas no dia a dia da mulher.

Na estação mais quente do ano, a temperatura corporal das gestantes aumenta, por causa da alteração de metabolismo e do crescimento da quantidade de progesterona. Com isso, há um impacto direto não só na sensação térmica, mas também no nível de hidratação do organismo.
Evite os desconfortos da gravidez no calor


Alteração de metabolismo e crescimento do nível de progesterona somado às altas temperaturas desencadeiam incômodos em gestantes
“A desidratação é um fator importante para os enjoos, por isso é preciso se hidratar bem e comer alimentos leves em pequenas porções, várias vezes ao dia. Ficar de estômago vazio não vai diminuir a ânsia”, explica Érica Mantelli, ginecologista e obstetra, de São Paulo.


Campeão de reclamações entre as futuras mamães, o aumento do volume das pernas ocorre devido à dilatação dos vasos sanguíneos, provocada pelo calor, que dificulta o retorno do sangue que desce para os membros inferiores. Porém, o problema pode ser evitado com soluções simples como deitar e deixar as pernas num ângulo de 45º, manter uma dieta balanceada e reduzir o consumo de sal.

Exercitar-se com frequência, fazendo leves caminhadas, também ajuda o sangue a circular mais rápido, diminuindo o sintoma.
“Ainda assim, se a perna estiver muito inchada, é aconselhável o uso de meias de compressão para amenizar o efeito”, afirma Érica.


Com textura marrom ou esbranquiçada, as manchinhas de gravidez na pele são causadas pela reação do sol com os hormônios em excesso produzidos no período. Para evitá-las, as mulheres devem tomar sol antes das 10h e depois das 16h, sempre com a proteção de um potente filtro solar (no mínimo, 40 FPS) e de um chapéu.
Número de Visualizações: 13386

Dicas de Estética e Fisioterapia Dermatofuncional durante a Gravidez

Nossas clientes, se preocupam não apenas em estar bem vestidas e elegantes, mas com sua imagem durante toda a gravidez, por isto pedimos ajuda para a Fisioterapeuta Andréa Abramo (CREFITO 18881-F) da Clinica Suellen Campanhola (www.suellencampanhola.com), para nos dar algumas dicas de esética durante a gravidez.

A evolução dos conceitos relacionados ao comportamento da mulher grávida é cada vez mais evidente, quer seja por necessidade pessoal, quer seja por pressão social.

O fato é, cuidar da saúde e da aparência do corpo tem forte influência na auto-estima feminina e vem despertando maior atenção das futuras mamães e dos profissionais que atuam no pré e pós natal.

O organismo da mulher durante a gestação sofre mudanças imunológicas, endócrinas, metabólicas e vasculares significativas, dentre as mais comuns destacam-se: distúrbios do sistema linfático (inchaço), distúrbios dos vasos (varizes), distúrbios da pigmentação (melasma), distúrbios do tecido conectivo (estrias), acne na gravidez e distúrbios dos pêlos e das unhas.

Ressaltamos, os distúrbios do sistema linfático e vascular que são muito evidentes nas mulheres grávidas, acarretando em congestão e alterações vasomotoras pré e pós natal. Um dos tratamentos mais indicados e utilizados antes e depois do parto é a manobra de drenagem linfática manual (DLM) sob prescrição médica.
Dicas de Estética e Fisioterapia Dermatofuncional durante a Gravidez


A DLM age ativando o transporte linfático, propiciando a redução do edema , retorno da circulação comprometida e acelera o processo de recuperação da pele traumatizada pós parto. Para tanto, as manobras de drenagem linfática manual devem ser lentas, leves e rítmicas, estabelecendo toques terapêuticos que não promovam a presença de dor.

Assim sendo, é importante cuidar da pele e seus anexos (pêlos, unhas e glândulas) sob orientação profissional desde o início da gestação, a partir da adoção de medidas preventivas a fim de evitar ou, pelo menos, amenizar os distúrbios gerais que podem ou não ocorrer nesta fase.

Que tal ganhar uma drenagem linfática manual (DLM)?

Mande seus comentários e faça suas perguntas para ganhar a sua...
Número de Visualizações: 3688

Video = Dicas de Como Evitar as Estrias na Gravidez

Cuide bem do seu corpo e evite as marcas na pele durante sua gravidez, previnindo o aparecimento das temidas estrias. Veja no video abaixo dicas práticas com uma dermatologias de como fazer isto da melhor forma, evitando riscos.
Número de Visualizações: 961

Video = Manchas Gestante

Vejam um vídeo com uma especialista falando de como evitar as Manchas durante a gravidez.
Número de Visualizações: 1052

Cuidados diários reduzem acne durante gravidez

Infelizmente a Acne é uma figurinha carimbada durante a gravidez. E pode se tornar um verdadeiro tormento na vida das futuras mamães, devido aos níveis elevados de estrógeno e progesterona (hormônios responsáveis pelo ciclo menstrual da mulher e desenvolvimento do feto), que afetam diretamente as glândulas sebáceas, presentes principalmente no rosto, pescoço e tronco.

Por isso, para evitar o problema e continuar com a pele linda ao longo dos nove meses de gestação, adotar alguns cuidados diários e até mesmo tratamentos estéticos são fundamentais. A acne nesta fase pode ser facilmente combatida. No entanto, vale a pena ressaltar que nem todo cosmético ou tratamento podem ser adotados pelas mulheres grávidas para não oferecer riscos ao bebê

Primeiro passo da batalha contra a acne na gravidez, o sabonete específico para as mulheres gestantes deve ser usado diariamente na limpeza do rosto, pois conta com substâncias sebo reguladoras que ajudam no controle da oleosidade excessiva sem prejudicar o bebê. No entanto, é preciso ficar atenta aos rótulos dos produtos e jamais passar a usar qualquer item sem o conhecimento do médico responsável.

Outro truque especial é evitar ao máximo a exposição excessiva aos raios solares, responsáveis por agravar ainda mais as espinhas, além de favorecer o surgimento de indesejáveis manchinhas sobre a cútis. Por isso, a dica é aplicar diariamente o protetor solar, livre de conservantes e receitado por um profissional. Desta forma, ele agirá em prol da beleza da mãe sem prejudicar a saúde do tão esperado bebê.

Como muitas mulheres sofrem com o surgimento da acne, principalmente no primeiro trimestre, a limpeza de pele, tanto feita em casa com produtos específicos quanto em clínicas estéticas, é uma boa saída para evitar os “estragos” causados pelas marquinhas. Ela não apresenta contraindicações para gestantes, a não ser quando realizada com ácidos, e deve ser feita de tempos em tempos, dependendo da avaliação das lesões da pele por um especialista.

Para deixar a pele sem a presença indevida da acne durante a gestação vale a pena também manter uma dieta balanceada diariamente. Isso porque os alimentos que induzem aumento da glicose no sangue elevam o nível de insulina, estimulando ainda mais a oleosidade cutânea. Portanto, risque de seu cardápio alimentos facilitadores da acne, como bolos, biscoitos, cereal matinal, pão branco e farinha.
Número de Visualizações: 1124

Descubra como prevenir a queda capilar na gravidez

Notar que os fios estão caindo mais que o normal após a gestação pode ser motivo de pânico para muitas mamães. O cabelo pode ficar seco e quebradiço durante a gestação devido à elevação dos níveis de progesterona.

Com as alterações hormonais os fios tendem a ficarem fortes, brilhantes e saudáveis durante a gestação. Mas, a partir do nascimento do bebê, as taxas hormonais (progesterona e estrógeno) voltam à normalidade podendo ocasionar 30% de queda. Essa queda pode acontecer 60 dias após o parto e se estender por até seis meses. A perda dos fios irá variar de acordo com o estado nutricional da mãe.

Se durante a gestação, a mulher manteve uma alimentação saudável, a queda pode ficar em torno de 30%. Mas, se não houve este cuidado, a queda pode atingir 50%.
Descubra como prevenir a queda capilar na gravidez


Se a mulher notar queda de cabelo pós-parto não deve se desesperar. O ideal para vencer essa fase é apostar em uma alimentação saudável e controlar a ansiedade, pois isso irá influenciar na reposição capilar.

Apesar de ser uma situação desagradável, o quadro é muito comum em mulheres grávidas. É importante alertar que, nessa fase, a perda dos fios não tem nenhuma ligação com calvície.

Se a queda não atenuar, a paciente deve procurar um dermatologista para investigar as causas do problema. Afinal, a perda de cabelo também pode estar relacionada à deficiência de vitaminas, ferro e proteínas.

Após o parto, é importante usar loções com ativos que controlam a oleosidade. O uso de xampus adequados pode ajudar na recuperação capilar. Outros tratamentos como peeling capilar e massagens estimuladoras também interferem de forma significativa para atenuar o problema.

Para combater a queda, a gestante deve consumir alimentos ricos em proteínas, massagear o couro cabeludo duas vezes por semana e usar uma loção fortificante.

Confira outras dicas de especialistas para prevenir a queda capilar pós-parto:

1) Evite usar química sem orientação médica. A composição química pode prejudicar a saúde do bebê.

2) Use sempre produtos de qualidade. Aplique xampus, condicionadores e cremes adequados ao seu tipo de cabelo.

3) Mantenha uma alimentação balanceada, com o suporte adequado de nutrientes. Isso é fundamental para evitar e conter a queda capilar após o parto.
Número de Visualizações: 1260

Hidratação corporal caseira evita estrias durante gravidez

Além da preocupação em dobro com a saúde e a alteração do peso ocorrida durante a gravidez, as futuras mamães também precisam ficar atentas às mudanças corporais, principalmente aquelas difíceis de serem contornadas após o parto. As mais temidas são as estrias, que geralmente aparecem na região da barriga, coxas e mamas.
Hidratação corporal caseira evita estrias durante gravidez


Isso acontece por conta do esticamento da pele que ocasiona pequenas rupturas nas camadas mais profundas da cútis, formando, consequentemente, as linhas rosadas e amareladas. Durante uma fase tão sensível, a mulher que tem predisposição genética e não cuida da pele tem muita chance de sofrer com as estrias.

Contudo, é possível manter a pele lisinha por meio da prevenção, pois a cútis hidratada diariamente em casa fica mais resistente e menos predisposta às alterações corporais.

Mas atenção: o tratamento só pode ser realizado se for permitido por um especialista, pois a gestante precisa passar por uma avaliação médica para começar a realizar a auto massagem, evitando assim qualquer tipo de risco para o bebê.

Futuras mamães que não querem ter surpresas desagradáveis até o nascimento do rebento podem aprender, a seguir, na aba de fotos, como deixar a pele lisinha e saudável com uma hidratação corporal caseira.
Número de Visualizações: 1737

Auto drenagem facial alivia o inchaço em mulheres grávidas

Causada pela gravidez, a tensão dos músculos do rosto tende a facilitar o acúmulo de líquido e toxinas, provocando assim uma expressão abatida e carregada. Apesar de esse inchaço ser quase inevitável durante a gestação, é possível, por meio de auto drenagem, aliviá-lo e melhorar o aspecto da face, deixando-a serena e luminosa.
Auto drenagem facial alivia o inchaço em mulheres grávidas


Para garantir esses benefícios, o tratamento caseiro precisa ser feito em duas fases. A primeira é a estimulação dos gânglios do rosto que ajudam na circulação do sangue. Já a segunda consiste basicamente em realizar movimentos leves e suaves que irão direcionar o líquido e as toxinas retidos em direção a esses gânglios, eliminando as impurezas existentes na face e, consequentemente, diminuindo os edemas.

A massagem contribui para diminuir o inchaço, manter a tonicidade e prevenir o envelhecimento cutâneo, pois estimula a circulação sanguínea e melhora a nutrição das células. O ideal é fazer os movimentos duas vezes por semana para obter os resultados desejados.

Detalhe importante: o tratamento só pode ser feito com a indicação de um especialista, pois a grávida precisa passar por uma avaliação médica para que não haja risco à saúde.
Número de Visualizações: 1381

Pode fazer tatuagem durante a gravidez?

Você tem uma tatuagem? AGora que esta grávida pensou em fazer uma para homenager ao bebê? Mas será que pode fazer tatuagem durante a gravidez?
Pode fazer tatuagem durante a gravidez?


Trata-se de uma dúvida comum entre as grávdias, por isto fomos perguntar a um obstetra, que nos disse que não devem fazer Tatoo nesta fase, pois durante a gravidez a cicatrização está exacerbada, e assim inclusive o resultado estético da tatuagem pode não ser o esperado.

Além do que podem surgir quelóides e os melanócitos, células que dão pigmentos para a pele, não atuam como de habitual.

Sem falar dos riscos caso a tatuagem não seja realizada corretamente, quando a agulha utilizada deve estar esterilizada, e, se a tatuagem não for feita em um lugar de confiança, a mãe corre riscos de contrair doenças como hepatite B e C, por exemplo. Já algumas tatuadoras descartam estes riscos, em especial se a mãe procurar um estúdio profissional, com ambiente higienizado. Aliás logicamente isto vale para todos, sejam grávidas ou não.

Portanto, é melhor esperar um pouco, não?
Número de Visualizações: 2124

Video = Cuidados com a pele na gravidez e de Como Evitar as Estrias

Vejam no vídeo abaixo do programa Você Bonita da Gazeta com a apresentadora Carol Minhoto grávida com uma especialista falando dos cuidados com a pele na gravidez, e como evitar as temidas estrias, como também o uso de óleos e cremes hidratantes.
Número de Visualizações: 1024