Category Archives: Multiplos

Grávida de Quíntuplos = Cada Dia é uma Vitória

Às vésperas de completar 27 semanas de gravidez, a encarregada de vendas Karina Bárbara Barreira, que está grávida de quíntuplos, ficou sabendo que o único menino já tem 1,069 kg. Na tarde desta quinta-feira (2), ela passou por mais um ultrassom, no hospital Sepaco, na Zona Sul de São Paulo, onde ela está internada preventivamente.Às vésperas de completar 27 semanas de gravidez, a encarregada de vendas Karina Bárbara Barreira, que está grávida de quíntuplos, ficou sabendo que o único menino já tem 1,069 kg. Na tarde desta quinta-feira (2), ela passou por mais um ultrassom, no hospital Sepaco, na Zona Sul de São Paulo, onde ela está internada preventivamente.


“Hoje eu me surpreendi porque o menininho já passou de um quilo. Fico feliz de ver que eles estão ganhando peso. Cada dia é uma vitória”, afirmou.

A moradora de Santos está internada desde 10 de março, em repouso, para que o estado de saúde dela e das crianças seja acompanhado de perto por uma equipe médica especializada.

Ao sair da sala, ela olha para o marido e diz: “Está ficando craque, hein, papai?”. João Biagi Júnior tinha adivinhado o peso do menino. “Disseram que eles ganham cerca de 200 g por semana. Por isso, eu falei que o menino já teria um quilo”, conta.

Karina e o marido tentavam ter um filho desde 2010. Ela engravidou depois de tomar alguns remédios receitados pelo médico, mas não precisou recorrer à inseminação artificial. Semanalmente, ela passa por um ultrassom para avaliar a evolução e a vitalidade dos bebês.

“Todos estão evoluindo, ganhando peso. Todos estão bem de saúde, com batimentos cardíacos ritmados e líquido aminiótico em boa qualidade”, afirmou o médico radiologista Rodrigo Junqueira Rocha.

“Eles estão menores, mas isso já era esperado. Alguns que têm o desenvolvimento de 3 a 4 semanas menor [que um outro bebê que não seja múltiplo]”, explicou médico radiologista Rodrigo Junqueira Rocha.

A menor bebê tem 546g. As outras estão com 789g, 769g e 668g. “Cada semana que passa eles estão mais apertadinhos”, descreve o médico.

A mamãe segue disposta. Durante o ultrassom, a equipe médica a auxilia para mudar de posição. Na tarde desta quinta, andou calmamente e sem dificuldades pelos corredores. Até o momento, ela engordou 7 quilos. “Mas está bom para quem está esperando cinco bebês, né?”, brinca. Ela conta que enjoou bastante no início da gravidez, o que ajudou a manter o peso.

Duas incubadoras na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) já foram reservadas para as crianças de Karina e João Biagi Júnior. Nos próximos dias, outras serão separadas preventivamente.

Dificilmente a gravidez chegará a 40 semanas. Para prolongar a gestação, Renata tem mantido uma rotina bastante regrada. Acorda cedo e recebe a primeira visita das enfermeiras por volta das 6h. Outras visitas da equipe médica se sucedem ao longo do dia até por volta de meia-noite. Os batimentos cardíacos das crianças são controlados diariamente.

“Estou me alimentando bem, fazendo bastante repouso, bebendo muito líquido”, afirmou. A probabilidade de uma gravidez quíntupla é uma em cerca de 40 milhões, segundo especialistas. O doutor Rodrigo diz que a gravidez de Karina chama a atenção dos colegas. “É diferente. Todo mundo fica surpresa. Acho que ninguém ainda pegou um caso desses.”

Número de Visualizações: 814

Mulher engravida de quíntuplos após tratamento

Queria abordar aqui hoje um tema cada vez mais comum, e que vemos com mais frequência entre as clientes grávidas da Zazou, que são a gravidez de multiplos após tratamento em busca de realizar o sonho de ser mãe.

Uma moradora de Santos, no litoral de São Paulo, engravidou, de uma vez só, de cinco bebês. Aos 35 anos, Karina Bárbara Barreira enfrentava dificuldades para engravidar e, depois de tomar alguns remédios receitados pelo médico, conseguiu realizar o sonho de ser mãe.

Apesar de inicilamente o pai ter ficado "chocado" ao receber a notícia dos quíntuplos, a família se sente abençoada e já passar a planejar a nova vida "a sete".

Karina e o marido, João Biagi Júnior, estão juntos há 15 anos e tentavam ter um bebê desde 2010. Os médicos diziam que, aos 35 anos, ela só conseguiria engravidar por inseminação artificial. Como eles não tinham como pagar pelo tratamento, Karina pensou em desistir do sonho.
"Eu estava arrasada e saía do médico chorando. Meu marido sempre me colocou para cima enquanto eu falava que não aguentava mais. Pensava em desistir. Hoje digo que sou sortuda e abençoada. Sempre disse que seria uma super mãe. Posso dizer que ganhei na Mega-Sena", brinca.


A associação de Karina é real. Segundo especialistas, a probabilidade de uma gravidez quíntupla é uma em cerca de 40 milhões. Para ganhar na Mega-Sena, o apostador que arrisca apenas seis números encara uma probabilidade de uma em 50 milhões.
"Ela não engravidava por causa da espessura do útero, que deveria ter 21 milímetros e estava com dois. Um novo médico passou um tratamento e melhorou. Quando ficou da forma necessária, a Karina deixou de tomar o remédio. Voltamos no médico e ele viu o período fértil", conta Júnior.

Eu puxei um banquinho, sentei e parei de sentir as pernas. Eu disse que não poderia ser e comecei a debater com o médico. Também decidi que não faria mais ultrassom porque cada hora aparecia mais bebês"


Passados cinco dias do período fértil, o casal começou a enfrentar uma série de surpresas. No primeiro ultrassom, veio a notícia de que seriam trigêmeos.
Mulher engravida de quíntuplos após tratamento

"Eu tremi bastante e, ao mesmo tempo, feliz porque era um sonho de cinco anos. Eu olhei para o meu marido e avisei que seriam três bebês", lembra Karina.


Perto do Natal, o casal voltou ao médico e teve mais novidades.
Ele chegou e falou que não eram apenas três bebês. Eram cinco. Eu tive que respirar fundo. Foi um momento de muita emoção. Eu não consegui chorar. Fiquei muito contente. Eu só olhei para cima e agradeci a Deus", diz Karina.


Já o marido diz que entrou em estado de choque. "Eu puxei um banquinho, sentei e parei de sentir as pernas. Eu disse que não poderia ser e comecei a debater com o médico. Também decidi que não faria mais ultrassom porque cada hora aparecia mais bebês. Faltou pouco para a gente brigar", afirma Junior.

Segundo o ginecologista responsável por Karina, Otacílio Sant'anna Júnior, os bebês estão extremamente saudáveis e com o tamanho esperado para os cinco meses de gestação. Karina conta que é uma grávida controlada. Atualmente, está pesando 67 quilos. Quando as pessoas sabem que ela está grávida de quíntuplos, todos esperam vê-la com uma barriga enorme. O médico, porém, elogia a paciente e diz que ela não come pelos cinco bebês.
"Ela está bem, está no começo. As modificações da gestação estão no início. Ela está com, aproximadamente, oito centímetros de barriga já. Ela é alta. Quando acinturar, vai dar para perceber mais", explicou o médico.


Dos cinco bebês, somente dois serão gêmeos idênticos. Eles estão divididos em quatro sacos gestacionais e, por isso, existem várias possibilidades. Segundo o médico, podem ser três meninos e duas meninas, três meninas e dois meninos, quatro meninas e um menino, até todas meninas ou todos meninos. Ainda não há prazo para que o sexo dos bebês consiga ser identificado.
Número de Visualizações: 985

Curiosidades sobre o mundo dos gêmeos

Cada dia mais temos clientes grávidas de multiplos nas lojas da Zazou, em especial pelo avanço da medicia, e pelas mulheres postergarem para mais tarde em suas vidas a maternidade.
Curiosidades sobre o mundo dos gêmeos


Por isto, com ajuda de uma velha conhecida e parceira da Zazou que é a a Jemima Pompeu (gêmea bivitelina), que tem um site muito legal sobre o assunto chamado: Vizinhos de Útero (www.vizinhosdeutero.com.br), para listar abaixo 20 curiosidades sobre o mundo dos gêmeos:

1) Pesquisadores concluíram que entre os gêmeos bivitelinos, existe uma alta probabilidade de um deles ser canhoto.

2) Gêmeos univitelinos (idênticos) quase sempre possuem o mesmo sexo e representam 1/3 das gestações gemelares.

3) Estudos mostram que mulheres mais velhas, altas e gordinhas tem mais chances de engravidar de gêmeos.

4) O menor número de gêmeos está nos povos orientais e a maior incidência está no continente africano.

5) Estudo aponta que os casos gemelares podem ser genéticos, mas não pulam uma geração, necessariamente.

6) Xifópagos: A origem do termo 'siameses' veio do fenômeno Chang e Eng que nasceram colados pelo ombro, na Tailândia. Eles casaram, tiveram filhos e permaneceram unidos até o fim. Um faleceu com intervalo de três horas do outro.

7) O dramaturgo inglês William Shakespeare e o compositor alemão Johann Sebastian Bach tiveram filhos gêmeos.

8) Desde 2007, a cidade de São Paulo tem uma data para comemorar o Dia dos Múltiplos: 18 de Março!

9) Em muitas religiões africanas a mulher que concebe gêmeos é aplaudida nas ruas, pois a crença deles diz que as almas escolhem a família a que querem pertencer, e as mães de gêmeos são seres iluminados por serem escolhidas por duas ao mesmo tempo.

10) Enxertos entre gêmeos univitelinos tem 100% de chance de sucesso, porque eles são geneticamente idênticos.

11) Passivo e Dominante - O psicólogo francês René Zazzo, classificou o fenômeno como 'paradoxo gemelar', referindo-se ao fato de indivíduos tão cúmplices desenvolverem, ao mesmo tempo, personalidades distintas e muitas vezes, conflitantes.

12) O primeiro caso de quíntuplos que sobreviveram na infância, foram as irmãs Dionne, nascidas em 1934 no Canadá. Elas eram idênticas!

13) Papiloscopia - Gêmeos idênticos têm o mesmo DNA, mas não tem as mesmas impressões digitais.

14) Um em cada 250 gestações pode resultar em gêmeos idênticos.

15) Um estudo mostra que as vegetarianas têm cinco vezes menos chances de ter gêmeos do que as mulheres que consomem carnes diariamente.

16) Os ursos polares são os animais que tem a maior propensão de dar à luz a gêmeos, e trigêmeos em raras ocasiões.

17) Comunicação no Útero - Examinando imagens de ultra-som 3D, um estudo em Padova – Itália, comprovou que os gêmeos começam a interagir um com o outro, na 14ª semana de gestação.

18) Criptofasia (Código Secreto) - 40% dos gêmeos inventam sua própria língua, forma que buscam para comunicar-se um com o outro.

19) Mais de 50% dos gêmeos nascem antes da 37ª semana.

20) O peso médio de um gêmeo é 2,42 kg.

Essas e outras curiosidades você encontra no projeto VIZINHOS DE ÚTERO, que também recebe relatos de grávidas de gêmeos ou múltiplos, assim como de mães de gêmeos também. Conheça alguns depoimentos de gestantes no link abaixo:

http://www.vizinhosdeutero.com.br/search/label/Relatos%20de%20Gestantes

Quem quiser participar, pode enviar sua história por e-mail: vizinhosdeutero@gmail.com
Número de Visualizações: 4559

A Melhor Faixa Abdominal para Gestante na Zazou

A Zazou vende em nossas lojas, inclusive a virtual, a melhor e mais confortável Faixa Abdominal para gravidas, recomendada pelos médicos para quem quer minimizar as dores na coluna durante a gravidez, em especial para quem esta grávida de gêmeos.
A Melhor Faixa Abdominal para Gestante na Zazou para dores nas costas na gravidez


Logicamente é para usar de baixo da roupa, sem ficar aparecendo, como na foto que foi para ilustrar o uso e como fica segurando bem a barriga.

Quem usa adora! Recomendamos!
Número de Visualizações: 1359

Se Preparar Para Ser Mãe de Gêmeos

As mulheres descrevem a maternidade como um dos momentos mais sublimes e marcantes da vida, além de uma das experiências mais fortes que poderiam viver. Pode ser uma gravidez planejada, esperada ou mesmo surpresa, a notícia sempre se espalha entre familiares e amigos. Mas e quando a novidade vem em dobro? Ou triplo?
Se Preparar Para Ser Mãe de Gêmeos


Susto é o primeiro sentimento que transparece no rosto das mães e pais depois do anúncio de que a gravidez é múltipla e que, ao invés de um, nascerão dois (ou mais) bebês de uma vez só. A notícia de ter um bebê é sempre um motivo de alegria, porém é possível que seja acompanhado de uma certa surpresa e até ‘susto’ frente à ideia de cuidar e dar conta de vários bebês.

Depois de passado o primeiro impacto, os médicos e psicólogos aconselham a buscar informações para entender o que está acontecendo com o corpo e como cuidar da gestação, dos bebês e da família da melhor maneira possível. Quanto mais ler, conversar com quem teve múltiplos e tirar dúvidas com o médico que a acompanha pode ajudar a desmistificar algumas ideias, perceber quais as reais necessidades e aspectos importantes que a mulher precisa estar atenta para se organizar.

Aliás fica desde já a dica de sites sobre o tema que recomendamos, e um deles com certeza é o Multiplos: www.multiplos.com.br

Muitas pessoas perguntam sobre a chance dos bebês serem idênticos, quais as chances de ter diabetes, pressão alta, se o parto será cesária ou normal, como cuidar de duas crianças, de maneira igual ou diferente. A enxurrada de questionamentos é absolutamente normal para qualquer mulher que descobriu estar grávida e que, no caso de gêmeos, preocupações com a vida financeira e com o corpo também ocupam os pensamentos das futuras mães. Grande parte das mulheres tem medo da gestação em si, do parto, se vai dar conta de criar os filhos. Elas também têm medo do corpo não voltar.

Os especialistas também aconselham que fazer um pré-natal bem acompanhado deve ser absoluta prioridade das gestantes. Consideramos gestação gemelar um acidente, pois o útero foi feito para uma única gestação. A maior preocupação nestes casos é que a metade dos bebês nascem antes dos nove meses, então ficamos muito preocupados com a prematuridade. Em geral sempre temos um cuidado a mais do que uma paciente com gestação única.

Diversos exames, como a medida do colo útero e ultrassom transvaginal, são capazes de observar de perto toda a gestação e diagnosticar qualquer problema de forma prematura. O especialista informou ainda que inicialmente é preciso identificar se os gêmeos estão sendo gerados na mesma placenta ou em placentas separadas. De acordo com os especialistas, uma gestação com duas placentas “flui melhor” porque são duas fontes de alimentação. Quando é definido que tem apenas uma placenta é possível certificar que os bebês serão idênticos, mas é preciso também observar mais de perto, pois em 10 a 15 % dos casos, pode acontecer de um feto consumir mais sangue e vitaminas do que o outro e haver grande discordância de peso. Caso isto aconteça, é possível corrigir o problema dentro do útero.

Nem tudo é dobrado em uma gravidez de gêmeos! Outros aspectos que também devem ser observados e citou que redobrar os cuidados nunca é demais. Enjoar mais é normal, assim como sentir mais desconforto por causa do aumento do útero, mas não necessariamente tudo é dobrado. O risco sofre um aumento, pois consideramos uma gravidez de risco, no entanto, alimentação, por exemplo, não deve ser dobrada.

O momento do parto é também outra fonte de preocupações, mas o bom treinamento do profissional e o posicionamento dos bebês são os fatores que definem o sucesso deste momento. Segundo o especialista em gestação gemelar, a cesariana normalmente é a primeira opção, mas é possível também optar pelo parto normal. A primeira coisa é que a paciente tem que querer e depois o obstetra tem que estar habilitado para isso. Estando os dois lados preparados, os bebês têm que ter condições apropriadas, tendo que estar o primeiro sempre com a cabeça para baixo e o segundo não pode ser muito maior do que o primeiro, no máximo 20%. É possível sim conseguirmos fazer com grande taxa de sucesso.

Depois do primeiro choro, primeiro banho, troca de roupa, mamada e exames, é hora de ir para casa. “Uma loucura!”, é assim que defininem as mães de gêmeos no começo. Amamentar dois de uma vez é complicado. No começo, há sempre a chance do problema de refluxo, o que é bem difícil. Sem falar que também acordavam no mesmo tempo e querem mamar no mesmo momento. Eles choraram bastante, d]ão mesmo trabalho assim até os 4 anos e meio.

Compartilhar histórias e experiências com outras mães é essencial, mas é preciso ter calma para entender o que pode ou não servir como exemplo. É muito importante viver um dia de cada vez, não se apresse. Tem que pensar que cada situação é única, cada gestação é única e, não é porque aconteceu com a amiga, com a vizinha, que vai acontecer com ela também.

Os bebês passam a ser então o centro das atenções, com as visitas, preparação de uma nova rotina, mas a psicóloga alerta que é preciso estar atento às reações da mulher durante a gravidez e ter acompanhamento médico antes e depois do nascimento dos bebês. A ressalva fica para qualquer mãe e não só para aquelas que tiveram gêmeos ou trigêmeos. Hoje tem umas série de estudos indicam que a mulher grávida de gêmeos tem 43% mais chances de ter depressão pós-parto. Isto por conta do estresse, da correria, de fazer tudo em dobro e também por questões físicas, pois quando os bebês nascem, as mães passam por um maior desequilíbrio hormonal.

O apoio dos familiares, amigos, companheiro e babá é muito importante, tanto para dividir os cuidados com os bebês, como também para aliviar o estresse da mãe e ajudar a identificar possíveis sintomas do problema. A intensidade dos sintomas varia de acordo com o tipo de personalidade da pessoa, da história de vida e de questões fisiológicas e bioquímicas. Há alguns sintomas que podem ajudar a identificar o problema, como a dependência excessiva da própria mãe e/ou do marido; o sentimento de incapacidade para assumir as responsabilidades maternas; a dificuldade de cuidar do bebê, sentindo-se incapaz de identificar (decodificar) o significado do choro do bebê, por exemplo; fala excessiva; sentimentos de depressão manifestado através de retraimento, isolamento, choro excessivo; sentimentos de fracasso frente ao papel de mãe e desilusão.

Apesar da correria e dos cuidados redobrados, ter dois ou mais filhos de uma única vez também traz alegria, amor e experiências em dobro.
Número de Visualizações: 1453

Video = Tratamento de Infertilidade & Gravidez Multiplas

Veja no vídeo abaixo uma entrevista com dicas do Dr. Marcus Bessa, que é um Ginecologista e especialista em Reprodução Humana, que fala da gravidez multipla comum nestes casos.
Número de Visualizações: 1058

Video = Gestação de Gêmeos

Veja no video abaixo um vídeo aonde especialistas falam um pouco dos tratamentos de fertilização e as chances de ter uma gravidez multipla de gêmeos, com ainda um depoimento de uma mãe que passou por isto.
Número de Visualizações: 1272

Gravidez de múltiplos tem maior impacto psicológico no casal

Vamos falar hoje de um tema cada vez mais comum entre as clientes da Zazou, que são a gravidez de gêmeos. Afinal uma gravidez de múltiplos exige cuidados e preparo psicológico mais intensos que uma gestação normal. Desde a confirmação da notícia até aprender a cuidar dos gêmeos, o casal terá muitas dificuldades com as quais precisará estar preparado para lidar. O primeiro impacto da gravidez de múltiplos é sua própria confirmação. O ideal é que a maternidade fosse planejada, mas nem sempre isso acontece. E, quando há a notícia de uma gravidez de múltiplos, o impacto é maior. Muitos casais até contam com o nascimento de gêmeos, mas isso não é algo que ocorre normalmente com quem sonha. Logo que recebe a notícia, o casal deve saber que poderá enfrentar uma gravidez de risco. As chances de parto prematuro são maiores em gestação de múltiplos. Existe um medo maior sobre se essa gravidez vai vingar, por isso o conteúdo psicológico é maior. É importante que o casal siga as orientações do médico para evitar problemas maiores.
Gravidez de múltiplos tem maior impacto psicológico no casal
Seguem algumas dicas abaixo de especialistas no assunto: 1) Cansaço em dobro: Outro aspecto comum para mulheres que carregam múltiplos é o cansaço maior. A sobrecarga da gravidez pode provocar problemas até mesmo depois do parto. Logo após o nascimento do bebê, o corpo da mulher fica muito fragilizado e ela pode não o reconhecer. A aparência e a autoestima também contam. Isso pode trazer um prejuízo psicológico maior. Além disso, o casal deve estar preparado para ter trabalho em dobro na criação dos filhos. Para lidar com essa situação, a união dos dois é importante. É preciso haver uma unidade e afinidade maior entre eles, além de uma participação grande do pai e de outras pessoas da família. Ela recomenda que o casal peça ajuda a pessoas próximas, inclusive para dar tempo para eles próprios. Eles têm que manter atividades de lazer e não ser pai e mãe em tempo integral. Deve haver um afastamento, para manter a identidade deles como pessoas, também. 2) Período sensível: A gravidez é uma fase marcada por muitas mudanças, não só físicas, mas também emocionais. É comum que o casal tenha muitas dúvidas se serão bons pais e até mesmo se amarão seus filhos. Desde que a mulher engravida até o momento que essa criança vai desenvolvendo, o amor vai sendo construído. Isso é algo que surge com o tempo. Por conta disso, recomenda-se o acompanhamento psicoterapêutico. A maternidade é um período de muita delicadeza para a mulher. Muitas delas, e também os pais, precisam de acompanhamento psicológico, principalmente aqueles que se sentem menos preparados ou que tiverem mais dificuldade. De maneira geral, o acompanhamento é uma forma de prevenção para qualquer casal, antes ou depois da gravidez. 3) Criação de gêmeos: Uma dúvida muito comum entre casais que terão gêmeos é como eles devem criar os filhos e garantir que não darão mais atenção a um deles. Os pais devem sempre se perguntar se estão fazendo o que podem pelos dois e tentar corrigir. Se a percepção não é tão clara, devem ficar atentos ao discurso do filho. Não se recomenda, no entanto, que os casais tentem comprar as mesmas coisas para os dois. Identificar e incentivar a personalidade, o gosto e o talento de cada um são atitudes importantes para evitar que haja diferenciação entre eles. "Também evitar que se apresentem em reuniões sociais como 'os gêmeos'. Cada um tem um nome.
Número de Visualizações: 3822

Video = Gravidez de Gêmeos

Veja no vídeo abaixo o o obstetra Paulo Nassar falando um pouco mais sobre as diferenças entre a gestação de gêmeos e a de apenas um bebê, e também sobre amamentação e parto.
Número de Visualizações: 1143

Casal nos EUA espera 4 filhos, depois que mulher e mãe de aluguel engravidam de gêmeos

Vejam só que estranho este caso de um casal americano que tentou ter filhos por dez anos agora espera quatro bebês, já que a mulher engravidou de gêmeos ao mesmo tempo que a mãe de aluguel que havia implantado seus embriões.
Casal nos EUA espera 4 filhos, depois que mulher e mãe de aluguel engravidam de gêmeos
Após duas tentativas fracassadas de fertilização in vitro (FIV) e um aborto natural, Misty e Brian Baker se diziam exauridos, tanto no aspecto financeiro, como emocional e físico, quando a amiga Amber Pluckebaum, que já tinha dois filhos, se ofereceu para ajudar.
"Quando ela disse estar disposta (a ser mãe de aluguel), me pareceu tão perfeito e natural", disse Misty ao canal de TV RTV6.
m outubro do ano passado, o médico responsável pelo procedimento sugeriu que, além de implantar os embriões do casal no útero da amiga, Misty também tentasse a FIV uma última vez.
"Eu acho que ela (Misty) pensou: 'Claro, por que não? Mas não vai funcionar para mim. Nunca funciona'", disse o médico William Gentry.
Gentry selecionou dois embriões mais saudáveis para Amber e quatro de menor qualidade para Misty. A notícia de que ambas estavam grávidas de gêmeos surpreendeu a todos, inclusive ao médico.
"Nunca as duas ficam grávidas de gêmeos ao mesmo tempo. Nunca vi isso antes", disse Gentry ao canal de TV local.
Segundo ele, Misty achou que a amiga ia ser bem-sucedida, então relaxou e acabou, finalmente, conseguindo engravidar.
"Nós realmente acreditamos que ela (Amber) era o pedaço do quebra-cabeça que estava faltando, não só para que tenhamos as crianças que ela está esperando por nós, mas também esses dois", disse o futuro pai Brian à RTV6, enquanto passava a mão na barriga de Misty.
As duas amigas tiveram que passar a gravidez separadas, já que Misty e Brian se mudaram para Seattle, enquanto Amber e o marido, que também se chama Brian, continuaram a viver em Kokomo, Indiana, a 3 mil quilômetros de distância. Complicações no início da gravidez impediram que as duas viajassem, então Misty vem mantendo contato com Amber via Skype e telefone, enquanto seu marido visitou a mãe de aluguel algumas vezes. Os bebês que vão nascer em Seattle, um menino e uma menina, vão se chamar Connor e Hope, que quer dizer esperança; os nomes das gêmeas que nascerão em Indiana, duas meninas, serão Madison e Victoria. Amber e o marido dizem que sempre terão uma ligação especial com as duas meninas, mas com filhos de seis e quatro anos, eles brincam que estão felizes por não ter mais que acordar de madrugada ou trocar fraldas. Os quatro bebês têm data prevista para nascimento em junho, mas os médicos acham que o parto deve acontecer antes disso.
Número de Visualizações: 2707

Quais são minhas chances de ter gêmeos, fazendo um tratamento de reprodução assistida?

Em 2011, mais de 10 mil mulheres ficaram grávidas graças a um tratamento de fertilização in vitro (FIV) no Brasil. Dessas, pelo menos 2.500 tiveram gêmeos, trigêmeos ou até quadrigêmeos, o que dá uma média de 25%. E muitas foram clientes da Zazou, por isto resolvi trazer o assunto para este nosso blog, até por que esse número ainda é alto quando se considera que, de forma natural, apenas uma em 88 gestações resulta em gêmeos, 1,1% do total. Os dados são da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida. E de acordo com a entidade, a popularização das técnicas de fertilização teve impacto direto no número de múltiplos no país. No mundo todo, o aumento do nascimento de gêmeos é impactado pela decisão das mulheres de adiar a maternidade. As “mamães tardias” são responsáveis pelo aumento de um terço na taxa de gemelaridade. O restante do aumento é explicado pelo uso de drogas para infertilidade e de alguns tratamentos para engravidar. Um estudo recente sobre o tema, que fez uma retrospectiva de sete anos de um programa de fertilização in vitro com base em grande estimulação ovariana e na transferência de um único embrião, mostou a ocorrência de gêmeos monozigóticos (também chamados de idênticos ou univitelinos) foi de 1,01% em 14.956 gestações clínicas. A cultura de blastocistos foi associada a um risco significativamente maior de gêmeos, enquanto o congelamento de embriões e a fertilização empregando a injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI) não influenciou na incidência de gêmeos.
“Tratamentos de infertilidade que promovem um aumento da ovulação podem conduzir ao nascimento de gêmeos, trigêmeos ou mais múltiplos. É importante dizer que nem todos os tratamentos de infertilidade ‘vêm com este risco aumentado’, mas a maioria pode expor o casal a este risco”, esclarece o ginecologista Jonathas Borges Soares, diretor do Projeto ALFA, Aliança de Laboratórios de Fertilização Assistida.
Vejam abaixo a lista dos medicamentos e tratamentos que podem levar ao nascimento de gêmeos com mais freqüência: • Uso de Clomid; • Uso de Femara; • Uso de Gonadotrofinas (também conhecido como injetáveis) como Gonal-F e Follistim; • Inseminação intra-uterina, quando utilizada junto com medicamentos para infertilidade; • Fertilização in vitro. O emprego dos medicamentos Clomid e Femara têm a menor taxa de gêmeos, variando de 5 a 12%. A taxa de trigêmeos e de múltiplos de ordem superior é inferior a 1%. Já as gonadotrofinas, se usadas com ou sem inseminação intra-uterina, têm a maior taxa de gêmeos. Segundo alguns estudos, até 30% das gestações concebidas com gonadotrofinas levam a múltiplos. A maioria destas gravidezes são gestações gemelares, mas até 5% são de triplos ou gravidezes de ordem superior.
“Contrariamente à crença popular, o tratamento de fertilização in vitro não é a principal fonte de triplos e de gravidezes de ordem superior. Os últimos dados recolhidos pelo CDC, Centers for Disease Control, nos Estados Unidos, indicam que a taxa de trigêmeos, em 2009, foi de cerca de 3,6% para as mulheres com idades entre 35 e 40 anos”, observa o ginecologista Jonathas Soares.
Ainda segundo o órgão americano, gêmeos oriundos da fertilização in vitro são relativamente comuns, com a taxa mais elevada para as mulheres com menos de 35 anos, algo em torno de 33,4%, em 2009. Já a taxa de fertilização in vitro para gêmeos é menor para as mulheres com mais de 35 anos de idade, provavelmente devido à diminuição da taxa de sucesso global dos tratamentos de infertilidade, relacionada à idade da mulher. Tratamentos de infertilidade não são a única causa para o nascimento de gêmeos. A seguir, o diretor do Projeto ALFA enumera outros fatores que aumentam as chances de nascimento de múltiplos: 1) Idade da mulher: As mulheres com mais de 30 têm um risco aumentado de ter gêmeos. Isso ocorre porque o hormônio FSH aumenta à medida em que a mulher envelhece. O FSH, hormônio estimulante do folículo, é responsável pelo desenvolvimento dos óvulos nos ovários, antes de serem liberados. Níveis mais elevados de FSH são necessários quando uma mulher envelhece, pois os óvulos requerem mais estímulos para crescer do que em uma mulher mais jovem. Esta situação é um pouco ambígua, visto que os níveis de FSH aumentaram também devido à diminuição da fertilidade. Nestes casos, muitas vezes, os folículos reagem com mais agressividade aos níveis mais elevados de FSH, e dois ou mais óvulos são liberados, resultando em uma gravidez de gêmeos. 2) História familiar: Se você tem gêmeos fraternos (não-idênticos) na sua família, suas chances de conceber gêmeos aumentam. Uma história familiar de gêmeos idênticos não significa, contudo, aumento do risco de gêmeos. Uma história de gêmeos no lado feminino da família indica uma maior probabilidade de ovular mais de um óvulo por ciclo. Uma história de gêmeos fraternos do lado masculino indica uma maior probabilidade do homem produzir espermatozóides suficientes para fertilizar mais de um óvulo. 3) Peso: As mulheres obesas, com IMC acima de 30, são mais propensas a conceber gêmeos do que mulheres com IMC normal. Esta é outra situação ambígua, uma vez que mulheres acima do peso também são mais propensas a apresentarem dificuldades para conceber. O excesso de gordura leva o corpo a produzir quantidades cada vez maiores de estrogênio. O aumento dos níveis de estrogênio pode levar à uma maior estimulação dos ovários, que ao invés de liberar apenas um óvulo durante a ovulação, podem liberar dois ou mais. 4) Altura: As mulheres mais altas que a média têm um risco aumentado de conceber gêmeos. Um estudo descobriu que mulheres com média de 164,8 centímetros de altura tinham maior probabilidade de conceber gêmeos do que as mulheres com média de 161,8 centímetros. Por que isso acontece? Ainda não sabemos, mas uma teoria é que uma melhor nutrição, o que pode levar uma estatura maior, pode estar por trás do aumento da taxa de gêmeos. 5) Número de filhos: Os gêmeos são mais comuns em mulheres que já engravidaram mais vezes e têm famílias grandes; 6) Raça: As mulheres negras são mais propensas a conceber gêmeos do que as mulheres brancas. As asiáticas são as menos propensas a conceber gêmeos. 7) Amamentação: As mulheres que engravidam durante a amamentação são mais propensas a conceber gêmeos. É verdade que a amamentação também pode afetar a fertilidade e prevenir a gravidez, especialmente nos seis primeiros meses de vida do bebê, caso ele se alimente exclusivamente de leite materno. No entanto, é possível engravidar durante a amamentação. E de gêmeos! Um estudo verificou que a taxa de gêmeos é de 11,4% entre as mulheres que amamentam, em comparação com apenas 1,1% em mulheres que não amamentam. 8 ) Dieta: Embora muitas pesquisas sobre este tema ainda estejam em curso, alguns estudos descobriram que mulheres que consomem mais produtos lácteos são mais propensas a conceber gêmeos. Uma teoria é que os hormônios de crescimento dado às vacas possam afetar os níveis hormonais em humanos. E qual seria as chances de ter gêmeos idênticos? A maioria das gestações múltiplas concebidas via tratamentos de infertilidade são de gêmeos fraternos. Os tratamentos de infertilidade aumentam o risco de ter gêmeos idênticos. De acordo com um estudo sobre o tema, os gêmeos idênticos representam 0,95% das gestações concebidas após o tratamento. Isso é o dobro do risco da população em geral. Não está claro porque os tratamentos de infertilidade levam ao nascimento de mais gêmeos idênticos. Uma teoria é que os embriões colocados em cultura durante a FIV aumentam o risco de geminação de idênticos. Outra teoria é que os tratamentos com gonadotrofinas levem ao aumento do risco de gêmeos idênticos. E as chances de ter gêmeos? Suas chances de ter gêmeos dependerão não apenas do uso de medicamentos para infertilidade, mas também da sua história familiar, raça, idade e de muitos outros fatores. Esses fatores “agem juntos”. Em outras palavras: uma mulher alta com uma história familiar de gêmeos fraternos têm mais chances de conceber gêmeos durante tratamentos de infertilidade do que uma mulher mais baixa, sem qualquer história familiar de gêmeos. Suas chances de conceber gêmeos também são afetadas pela causa específica da sua infertilidade. Uma mulher jovem com óvulos mais saudáveis têm mais chances de conceber gêmeos que uma mulher com mais de 40 anos, cujos óvulos apresentam uma qualidade mais comprometida. As taxas de gêmeos e múltiplos também variam em cada clínica de fertilidade. Taxas de gêmeos diferem com base em como cada clínica controla a estimulação da ovulação e de quantos embriões elas transferem durante a FIV. E mesmo que o seu médico decida tentar a transferência de um único embrião, você ainda pode conceber gêmeos idênticos.
Número de Visualizações: 1545

Video = Estou grávida de gêmeos, e agora?

Estou grávida de gêmeos, e agora? A notícia da gravidez de gêmeos pode gerar um susto inicial nos pais. Mas com planejamento e alguns cuidados é possível ter uma gestação tranquila e prazerosa. Confira no vídeo abaixo uma série de dicas e informações úteis da Maternidade do Einstein.
Número de Visualizações: 1252

Dica de Livro sobre Gravidez = Lançamento do Livro “Vizinhos de Útero – Irmãos Gêmeos” da Jemima Pompeu

Sempre passamos dicas de livros sobre gravidez, e hoje quero comentar sobre um recente lançamento do livro: “Vizinhos de Útero – Irmãos Gêmeos" da autora Jemima Pompeu.
A obra é um resumo de parte do conteúdo postado no site dela especializado no assunto, chamado exatamente de Vizinhos de Útero (www.vizinhosdeutero.com.br) entre março de 2010 a março de 2012. Trata-se de um belo e bem feito projeto totalmente dedicado aos gêmeos adultos e familiares que se tornou referência no assunto. Devido ao sucesso do site demonstrado através da crescente audiência, a autora acaba de lançar então este livro, que tem como objetivo, agregar de forma simples e objetiva, algumas de suas descobertas do mundo dos gêmeos encontradas em dois anos de pesquisa. Além de contar um pouco da própria história, a autora também reune 160 relatos com fotos enviados por gêmeos (famosos, anônimos, sobreviventes e familiares) participantes do site. O prefácio é da bela e simpática atriz Suzy Rêgo (mãe de gêmeos e cliente da Zazou durante sua gravidez) e do seu marido e pai dos gêmeos, o ator Fernando Vieira (que por sinal também é gêmeo). O livro tem quase 300 e custa na faixa de R$ 41 a versão impressa e apenas R$ 11 a versão digital eletrônica no formato PDF de Ebook.
Número de Visualizações: 2030

Video = Grávida de gêmeos X Diferença o número de placentas

Estou grávida de gêmeos. Faz diferença o número de placentas? Veja o que diz no vídeo abaixo a especialista em Medicina Fetal Dra. Denise A. L. Pedreira.
Número de Visualizações: 1513

Nascimento de gêmeos aumenta 17% no País em menos de uma década ‎

Na contramão do encolhimento da população em geral, o número de gestações de gêmeos, trigêmeos e até quadrigêmeos aumentou no País, impulsionado pela popularização do uso de métodos de reprodução assistida. Em sete anos, houve um aumento de 17% nesses nascimentos. Os dados são da Pesquisa do Registro Civil 2010, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Eles mostram que a proporção de brasileiros nascidos de partos múltiplos passou de 1,59% em 2003 para 1,86% do total de partos em 2010. Ou seja, a cada ano, nascem mais de 51 mil múltiplos. Estatisticamente, a chance de uma mulher engravidar naturalmente de dois bebês de uma só vez é de 1 para cada 80 gestações. Mas em Estados com maior acesso a tratamentos de alta complexidade, como Rio de Janeiro e São Paulo, a ocorrência tem sido bem maior que a média. Entre os 599 mil paulistas nascidos no ano passado, 13.215 eram gêmeos - 1 para cada 45. No Rio de Janeiro, onde nasceram 200.257 bebês no mesmo período, a proporção de gêmeos foi de 1 para cada 51. De acordo com o médico Renato Fraietta, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o aumento do número de gestações múltiplas está diretamente relacionado ao uso de técnicas de reprodução assistida. Uma em cada cinco mulheres que engravida por meio de tratamento dá à luz mais de um bebê. Isso acontece porque, para aumentar as chances de gravidez, os médicos "turbinam" o organismo da paciente com hormônios para estimular a ovulação ou implantando vários embriões de uma vez. Para quem está correndo contra o tempo, a ideia de fazer algo para melhorar a performance do organismo é irrecusável. Afinal, além do custo elevado: de R$ 2 mil a R$ 15 mil por tentativa, os tratamentos têm um pesado ônus emocional. Moradores do Rio, Adriana Valle e Eduardo Matta viveram essa angústia durante três anos. Primeiro, eles tentaram estimulação hormonal. Em seguida, a fertilização in vitro. Nesse processo, o médico retira óvulos da paciente e os insemina em laboratório. Dias depois, os embriões que vingaram são inseridos no útero da paciente. Nas duas primeiras tentativas, a gestação de Adriana não foi adiante. Na terceira, ela engravidou dos gêmeos Bruno e Carol, hoje com 5 anos.
"Foi um processo longo e desgastante física e emocionalmente", lembra Matta. "Mas, ao ver a carinha deles, vejo que tudo valeu a pena."
Casos de trigêmeos e quadrigêmeos são bem menos comuns, apenas 1,3 mil por ano. Mas, quando acontecem, ainda assustam. A assistente de importação Elisângela Ramos recorreu à técnica aos 30 anos, após 3 de casamento. Por ter histórico de obstrução nas trompas e endometriose, partiu logo para a inseminação artificial, processo em que o sêmen do marido é injetado no útero da mulher no dia fértil. Elisângela recebeu injeções do hormônio FSH, que estimula a ovulação, e foi submetida à inseminação. Não apenas um, mas quatro óvulos foram fecundados.
"Eu não acreditava que seriam tantos", diz. "Se fosse hoje, talvez tentasse engravidar pelo método natural."
Os quadrigêmeos Bruno, Beatriz, Lucas e Lívia nasceram em novembro de 2008, com pouco mais de 1 quilo cada um. E só foram para casa depois de dois meses na incubadora. Elisângela parou de trabalhar e contratou duas babás, que se revezavam dia e noite. Só neste ano, quando as crianças entraram na escola, ela pôde começar a retomar a vida normal.
"Ninguém imagina o trabalho que dá cuidar de quatro bebês prematuros", conta.
E não é só isso. Segundo o médico Artur Dzik, presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana, as gestações múltiplas oferecem maior risco à saúde da mãe e dos bebês.
"Antigamente, os tratamentos tinham uma taxa de sucesso menor e se costumava colocar mais embriões", diz. "Hoje, esse procedimento é questionável, pois há o risco de a gestação não terminar bem."
Bebês múltiplos têm dez vezes mais chance de necessitar de UTI neonatal. Nos próximos anos, a taxa de nascimento de gêmeos deve baixar. Em 2010, o Conselho Federal de Medicina limitou o número de embriões que as pacientes podem receber a cada tentativa. Para mulheres de até 35 anos, são no máximo dois. Para as de 36 a 39, três. E para as de 40 em diante, quatro. O médico Isaac Yadid, que participou da equipe responsável pelo nascimento do primeiro bebê de proveta do País, em 1984, diz que a medida é acertada.
"As técnicas evoluíram e nosso dever é conduzir o processo com segurança."
Número de Visualizações: 2167

Video = Gravidez Múltipla

Você esta grávida de gêmeos? Precisa então ver esta matéria sobre o assunto da Gravidez Múltipla no vídeo abaixo:
Número de Visualizações: 1599

No Portal Múltiplos e no grupo Unidas pela Dor, mulheres que tiveram dificuldade de engravidar trocam experiências

Junto com a alegria, a gravidez múltipla costuma trazer muita apreensão. Há nove anos, quando descobriu estar esperando três bebês, a empresária Majoy Antabi entrou em parafuso.
"Na época, não havia onde buscar informações sobre o tema. Eu temia dar à luz antes da hora ou perder algum deles", conta.
Enquanto gestava Henry, Laila e Maia, a empresária criou um blog para trocar experiências com mães de gêmeos. Com o tempo, o projeto foi crescendo e se tornou o Portal Múltiplos, que mantém um cadastro de 6.890 supermães. Hoje, os trigêmeos de Majoy estão crescidos e ela teve até mais uma filha, Raica, concebida naturalmente. Mas não abandona o projeto. Além de se encontrar com leitoras, mantém uma rede de apoio que distribui roupas, carrinhos e brinquedos usados para as mães de primeira viagem.
"Quem vê gêmeos ativos e saudáveis não sabe o drama que a mãe deles passou nos primeiros meses", diz Majoy.
"Depois da angústia de vê-los lutando pela vida na UTI, vem o trabalho duro. São pelo menos 18 fraldas por dia, mais de 30 mamadas ou então latas de leite em pó especiais que custam no mínimo R$ 40. No primeiro ano, a maioria das mães não consegue fazer a unha nem ir a um restaurante, porque o dinheiro vai todo para os gastos com os bebês."
O pior é quando a gravidez múltipla apresenta complicações. Após oito tentativas de inseminação, a engenheira civil Odete Santos ficou grávida aos 48 anos. Mas a gestação foi dificílima.
"Quando o médico falou que eu estava grávida de trigêmeos, senti a maior felicidade da minha vida", lembra. "Mas logo tive um sangramento, provocado pela perda de um dos bebês. No restante da gravidez, fiquei em repouso, tentando fazer tudo certo para não perder os outros."
Quando a gestação completou sete meses, constatou-se que um dos bebês estava crescendo muito mais lentamente que o outro. Submetida a cesariana de emergência, Odete deu à luz um menino e uma menina. A nenê, que pesava 480 gramas, morreu aos 20 dias.
"Fiquei só com o Ricardo, que graças a Deus hoje é um menino forte de 5 anos", afirma.
Com base em sua experiência, Odete ajudou a criar um grupo chamado Unidas Pela Dor. Suas integrantes se reúnem periodicamente para desabafar sobre o drama de não conseguir engravidar.
Número de Visualizações: 1918

Video = Cometários que Irritam

Você esta grávida? E de Gêmeos? O Blog Mamatraca fez uma recente pesquisa para saber quais os comentários que as pessoas fazem sobre sua gravdiez e sobre gêmeos? Vejam só o vídeo abaixo:
Número de Visualizações: 1541

Irmãs gêmeas têm filhos no mesmo dia nos Estados Unidos

Mais um caso de incrível coincidência, desta vez aconteceu com as irrmãs gêmeas, que deram à luz seus primeiros filhos com poucos minutos de intervalo no estado americano de Nova Jersey.
Danielle e Nicole Fisher, de 23 anos, tiveram cada uma um menino com apenas 13 minutos de diferença. Quando elas nasceram, o intervalo foi de 12 minutos. Nicole considera que isso é algo que só gêmeos podem entender.
“É algo que tem a ver com aquela comunicação entre os gêmeos”, disse.
Pela data prevista, o filho de Danielle, Jonathan, era esperado para a última semana, enquanto o de Nicole, Maximus, nasceu com duas semanas de antecipação.
“Foi inacreditável”, disse a mãe, Lisa Fisher.
Por fim, falando em gêmeos, fica a dica do Portal Multiplos que aborda o assunto em: www.multiplos.com.br
Número de Visualizações: 5501

Dica de Portal para Grávidas de Gêmeos = Multiplos

Esta dica é para quem esta grávida de gêmeos, por sinal cada vez mais comum de se ver, que é o Portal Multiplos, que tem muitas dicas, inforações e depoimentos de quem já passou por isto e pode ajuda-la.
Dica de Portal para Grávidas de Gêmeos = Multiplos
Recomendamos mais este parceiro da Zazou! Visitem em: www.multiplos.com.br
Número de Visualizações: 2652

Video = Vizinho de Útero da Jemima

Você vai ter gêmeos? Então precisa conhecer a Jemima e o portal Vizinhos de Útero! Grandes e interessantes histórias e relatos muito legais sobre multiplos... Veja a entrevista dela no programa Lá em Casa do AllTV com a Vanessa. Parte 1 de 2: Parte 2 de 2:
Número de Visualizações: 1854

Mães de gêmeos são mais fortes e vivem mais

Ao invés de ser um acidente de reprodução que acaba com a energia das mulheres, ter gêmeos pode na verdade ser uma adaptação evolutiva na qual mães saudáveis têm a oportunidade de passar seus genes duplamente de uma só vez. Segundo uma nova pesquisa, ter dois bebês ao mesmo tempo está associado a uma vida mais longa. Mas não, cuidar de gêmeos não aumenta a expectativa de vida das mulheres diretamente; em vez disso, as mães de gêmeos já são fisicamente mais fortes.
Maes de Gemeos
Ter gêmeos pode ser um identificador dessas mulheres notáveis, pessoas fisicamente excepcionais. Porém, a pesquisa se focou em populações de mulheres de 1800 de Utah, EUA, que tiveram que seus filhos naturalmente, e por isso os resultados podem não se aplicar a sociedade atual da fertilização in vitro. Gêmeos idênticos, criados quando um embrião se divide em dois durante o desenvolvimento no útero, nascem mais ou menos ao acaso. Já gêmeos fraternos, que se desenvolvem a partir de óvulos separados liberados e fertilizados ao mesmo tempo, mostram alguns padrões tanto de hereditariedade (ocorre na família) quanto influência ambiental. Sem contar gêmeos concebidos de fertilização in vitro, os gêmeos respondem a 6 em cada 1.000 nascimentos na Ásia, 10 a 20 de cada 1.000 nascimentos nos EUA e na Europa, e 40 de cada 1.000 nascimentos na África. Os cientistas queriam ter um olhar nesses nascimentos antes da tecnologia reprodutiva e controle de natalidade existirem. Para isso, eles usaram um banco de dados da população de Utah, um registro genealógico enorme que remonta ao início dos anos 1800. A partir desse banco de dados, eles puxaram os registros familiares das mulheres que nasceram entre 1807 e 1899, e que viveram pelo menos 50 anos, para observar a totalidade de seus anos reprodutivos. Também excluíram viúvas e esposas de famílias polígamas, para garantir que estivessem comparando mulheres semelhantes. O resultado incluiu 58.786 mulheres, 4.603 das quais tinham pelo menos um par de gêmeos. Os pesquisadores compararam as mães de gêmeos com as outras mães quanto a diferenças na expectativa de vida, número de filhos, tempo entre gestações e duração da fertilidade, todas medidas de saúde. As mães de gêmeos bateram as outras mamães em todas as medidas. Elas viveram mais tempo, tiveram uma vida reprodutiva mais longa, precisaram de menos tempo para se recuperar entre as gestações, e tiveram mais filhos. As mães de gêmeos nascidos antes de 1870 tinham em média 1,9 mais filhos do que outras mães da sua faixa etária, e as mães no grupo pós-1870 tinham 2,3 filhos a mais do que suas semelhantes. Como gêmeos têm maior probabilidade de morrer do que filhos únicos, os pesquisadores ajustaram os dados à mortalidade infantil, assumindo que uma mãe de gêmeos pode ter bebês mais rapidamente depois que uma criança morre. Após esse ajuste, as mães de gêmeos ainda estavam na frente, tendo 1,24 e 1,56 mais bebês do que as outras mães. Os resultados não diferiram com o passar do tempo, embora as mulheres pré-1870 tivessem pior atendimento médico do que as mulheres nascidas depois. No entanto, é difícil comparar os dados de 1800 com os de hoje. Segundo os pesquisadores, a fertilização in vitro aumentou o número de gêmeos nascidos. Outros fatores mudaram também: globalmente, as mulheres engravidam menos agora do que em 1800, então suas chances gerais de ter uma gravidez de gêmeos espontânea são mais baixas. Um estudo de 2001 com mulheres da região rural de Gâmbia, no entanto, mostrou que as mães de gêmeos tinham melhor saúde reprodutiva do que as mães de filhos únicos. O próximo passo da pesquisa é estudar os gêmeos de Utah, para ver como eles se saíram, dado o fato de que são mais propensos a nascerem prematuros e com problemas de saúde. Os cientistas também querem estudar as “supermães”; ao identificá-las, poderão analisar outros aspectos sobre elas que as tornam mais saudáveis, as fazem viverem mais e terem bebês em um ritmo mais rápido do que o resto da população.
Número de Visualizações: 1657

Video = Maternidade Dose Tripla! Apresentadora Fátima Bernardes fala da experiência de ser mãe de trigêmeos

Veja no vídeo abaixo do programa Núcleo-i sobre mães de multiplos, em que a apresentadora Fátima Bernardes também comenta que o primeiro ano dos bebês é o mais difícil. Mulheres formaram um grupo com 22 mães que trocam experiências sobre a maternidade tripla.
Número de Visualizações: 1949

Vizinhos de Útero & Símbolo da Dualidade

O Blog Vizinhos de Útero da parceira Jemima Pompeu acaba de ganhar uma nova logo.
Vizinhos de Útero & Símbolo da Dualidade
A figura escolhida lembra o símbolo da dualidade, inspirada na frase abaixo:
"Um gêmeo é para sempre um indivíduo dual, quer o seu gêmeo ainda esteja vivo ou não. Há uma presença constante do outro em cada um dos gêmeos: Eu não sou apenas eu, eu sou 'nós' em simultâneo. Qualquer intenção de separação resulta em desastre e em desintegração" Claudia Pinheiro
Fica a dica de visitarem o blog em: http://www.vizinhosdeutero.blogspot.com E acompanha-la pelo Twitter em: @vizinhosdeutero
Número de Visualizações: 1539

Video = Vídeo de conversas entre bebês

O vídeo de dois irmãos gêmeos conversando sem parar é um dos grandes sucessos da internet. Mais de 20 milhões já viram o vídeo original. Você já viu? E o que vocês acham que eles estão dizendo um para o outro? Vejam então abaixo o humorista Fábio Porchat e Tadeu Schmidt fazendo uma interpretação livre do papo....
Número de Visualizações: 1619

Risco de depressão pós-parto é maior para mãe de gêmeos

Você sabia de que a gravidez múltipla é um dos principais fatores de risco para depressão pós-parto? Grávidas de múltiplos têm 43% mais risco de sofrer de depressão pós-parto, diz um estudo publicado na edição de abril da “Pediatrics”, revista da Academia Americana de Pediatria. Foram avaliados dados de 8.069 americanas, excluindo variáveis como características socioeconômicas e demográficas, que podem influenciar na incidência do transtorno.
Risco de depressão pós-parto é maior para mãe de gêmeos
Entre as hipóteses para isso está a maior exigência física e emocional, foi também o que concluiu o mesmo em uma recente pesquisa e tese de mestrado da psicóloga Gabriela Andrade Silva, pesquisadora da USP. Na sua pesquisa de mestrado, feita com 245 mães, ela avaliou alguns fatores que levam ao desenvolvimento do transtorno. Constatou que a sensação de impotência e insegurança podem ser determinantes.
"Gravidez de gêmeos é uma gravidez mais complicada. É mais provável que a mulher pense que não terá suporte emocional, familiar e financeiro suficiente."
De acordo com a pesquisadora, as duas únicas mães de gêmeos que participaram do estudo tiveram depressão. O dado não foi considerado porque a amostragem era pequena, mas há pesquisas na literatura internacional que já apontaram maior prevalência do distúrbio em gestações múltiplas. A prematuridade é um fator de risco para depressão, pois o bebê requer cuidados especiais e, dependendo de sua maturidade, tem mais chances de sequelas ou morte, o que torna a mãe mais vulnerável e ansiosa. E, no caso de gravidez múltipla, os riscos de antecipação do parto são maiores. Apesar de não ser definido seu mecanismo de ação, outro fator já relacionado à depressão pós-parto é a cesariana, que ocorre frequentemente em gestações de mais de um bebê. Um estudo publicado em 2009 na revista "Pediatrics", feito com 8.069 mães americanas, mostrou que o risco de ter o distúrbio é 43% maior nesse tipo de gravidez. Outra explicação, para a ginecologista Carolina Ambrogini, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), é a variação hormonal.
"Grávidas de gêmeos têm mais hormônios durante a gestação. O desequilíbrio depois do parto é ainda maior."
Cerca de 12% das mulheres têm depressão pós-parto. O transtorno pode começar logo nas primeiras semanas ou até um ano depois do nascimento do bebê. A duração e a intensidade dos sintomas variam muito e não devem ser confundidas com as de "baby blues", tristeza que dura de quatro dias a duas semanas e afeta cerca de 50% das mulheres.
"Os sintomas da 'baby blues' são mais leves. Ela sente um pouco de irritação pela privação do sono e pelo cansaço, mas a sensação passa sozinha", diz Joel Rennó Junior, psiquiatra da USP.
Na depressão, além do cansaço e da melancolia serem mais fortes, pode acontecer de a mãe perder o interesse pela criança ou, no outro extremo, cuidar excessivamente do bebê e perder interesse por outros filhos e membros da família.
"É muito comum a mulher ter um sentimento ambivalente. Ela quer e não quer estar estar com a criança. A culpa é muito forte em todos os casos", explica Amaury Cantilino, psiquiatra e pesquisador da Universidade Federal de Pernambuco.
Risco de depressão pós-parto é maior para mãe de gêmeos Reconhecer o problema e procurar ajuda são determinantes para garantir a saúde do bebê e da mãe.
"O transtorno pode prejudicar o cuidado da criança, as relações familiares e causar sofrimento intenso. É preciso procurar tratamento o quanto antes", diz Cantilino
Número de Visualizações: 3911

Video = Pai rejeita filha trigêmea no Paraná e perde a guarda das três crianças

Vejam só que absurdo este caso real de um casal do Paraná, que recorreu à uma inseminação artificial para ter filhos e teve trigêmeas. Só que o pai disse simplesmente que não levaria as três crianças para casa, apenas duas. Com a confusão armada desta situação estranha, o que restou ao hospital foi não autorizar que levasse nenhum e os bebês foram encaminhados ao conselho tutelar. Veja mais detalhes no vídeo abaixo: E qual a sua opinião a respeito? O que você faria se seu marido fizesse isto? Mande seus comentários.
Número de Visualizações: 1316

Video = Gravidez Gemelar

Vejam no vídeo abaixo do programa Giro pela Saúde que aborda a Gravidez Gemelar.
Número de Visualizações: 2219

Dia dos Multiplos = 18 de Março

Dia dos Multiplos
Número de Visualizações: 1376

Video = Bebês gêmeos nascem com 49 horas de diferença

Vejam só este caso de bebês gêmeos que nasceram com 49 horas de diferença! As meninas estão na UTI neonatal porque nasceram prematuras, de quase seis meses. Na última quinta-feira, às 11h12 da noite, nasceu Josiane, com 715 gramas. Mas apenas pouco mais de dois dias é que veio a segunda, que é a Helena com 740 gramas. Os partos das duas meninas foram normais. Mesmo com intervalo de 49 horas entre o nascimento de um bebê e outro. Apesar de serem gêmeas vão comemorar os aniversários em datas diferentes. Josiane no dia 27 de janeiro e Helena no dia 30. Elen, a mãe, tem 17 anos. Entrou em trabalho de parto e nasceu Josiane. As contrações pararam. Como a outra criança estava em bolsa e placenta diferentes, os médicos decidiram esperar. Também avaliaram que o risco seria menor.
“Nestes casos de extrema prematuridade, cada dia que a gente ganha é uma chance a mais que esse bebê tem”, explica Alberto Trapani, obstetra.
Este intervalo entre o nascimento de gêmeos é raro. O normal é de cerca de vinte minutos. Em 15 anos é a primeira vez que isso acontece no hospital, onde já foram feitos 20 mil partos. Elen é casada há um ano e conta sobre o primeiro contato que ela teve com as crianças. “Senti o calor delas, foi simplesmente maravilhoso”, diz Elen de Oliveira Eugênio, mãe dos bebês. Josiane e Helena ainda devem ficar por um bom tempo na UTI para ganhar peso. Mas a mãe já faz planos para daqui a quinze anos.
“Vai ser meio complicado, por exemplo, quando elas tiverem 15 anos vai ter que fazer uma festa num dia e outra logo depois... Mas a gente espera que elas entendam e não queiram fazer tudo separado”, diz.
Esta foi a primeira gravidez de Ellen. Josiane e Helena têm a mesma altura: 33 centímetros. Vejam no vídeo abaixo uma matéria do Jornal Hoje que mostra mais detalhes.
Número de Visualizações: 1740

Mulher dá à luz gêmeos filhos de pais diferentes = Gravidez Dizigótica

Vejam só ese curioso caso de uma uma polonesa que deu à luz gêmeos (um menino e uma menina), mas que depois em um teste de paternidade mostrou que os dois bebês têm pais diferentes. O garoto é filho do marido da mulher e a menina, de outro homem com quem a moradora da Polônia se relacionou. Os exames foram feitos porque os bebês eram muito diferentes entre si. Especialistas afirmam, que digamos cientificamente falando, de que casos assim podem não ser raros.
“Geralmente, a mulher produz um óvulo, mas se ela produzir dois num mesmo ciclo menstrual e tiver relações sexuais com dois homens diferentes, é possível que cada óvulo seja fecundado pelo espermatozoide de um deles”, diz o coordenador de Obstetrícia da Secretaria Estadual de Saúde, Flávio Monteiro.
Segundo ele, trata-se de um caso de gravidez dizigótica, que dá origem a gêmeos diferentes.
“A diferença é que, neste caso, são irmãos de pais diferentes” “Para que a mulher com dupla ovulação engravide de dois homens, deve ter feito sexo com dois homens até 48h antes da ovulação ou até 12h após”.
Vice-presidente da Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Rio, Hugo Miyahira explica que o mais frequente, nestes casos, é que a mulher ovule e engravide de homens diferentes em dias seguidos. Mas há relatos de mulheres que podem ter engravidado pela segunda vez depois de já estarem grávidas.
“A mulher continuaria ovulando na gravidez. É mais raro e há questionamentos sobre isso”, conta ele.
A chance de a mulher produzir mais de um óvulo por ciclo aumenta com a idade.
“Entre as que têm menos de 20 anos, em cada grupo de mil bebês nascidos, três são gêmeos dizigóticos. Já entre as com idades entre 35 e 40 anos, são 14 a cada mil”, diz Monteiro. “Fatores hormonais e histórico familiar influenciam”, acrescenta.
E você o que acha deste caso?
Número de Visualizações: 6766

Trigêmea nasce 11 anos após irmãs gêmeas

Vejm só abaixo este caso estraordinário da medicina... São 11 anos que separam os nascimentos da pequena Ryleigh Shepherd das irmãs Bethany e Megan. As três jovens inglesas são consideradas, tecnicamente, trigêmeas - já que foram concebidas ao mesmo tempo, por fertilização in vitro -, mas só em dezembro de 2009 é que os pais, que moram em Walsall, no Reino Unido, decidiram que dariam à luz a terceira filha. As informações são do site do jornal britânico Daily Mail. Segundo a reportagem, em 1994, Lisa Shepherd descobriu que suas chances de fertilização natural eram muito pequenas. Ela tomou remédios para aumentar a possibilidade de engravidar, mas nada deu certo. Foi então que tomou uma decisão com o marido, Adrian, e, em setembro de 1998, uma clínica coletou 24 óvulos da mulher. Pelo menos 14 óvulos foram fertilizados com sucesso , sendo dois implantados no útero de Lisa e os demais foram congelados. O tratamento foi um sucesso e as duas meninas nasceram. Após nove anos, o casal, feliz com o sucesso do tratamento e um pouco mais livre após o crescimento das gêmeas, decidiu ter mais um filho.
"Nós perguntamos às meninas o que elas achavam de ter mais um membro na família, e elas realmente queriam", diz Lisa ao site.
Ryleigh nasceu em novembro com 3,1 kg e saudável. Segundo a reportagem, especialistas dizem não conhecer outro caso com uma diferença tão grande de embriões fertilizados no mesmo tratamento. Por terem sido fertilizadas no mesmo momento, as meninas podem ser chamadas tecnicamente de trigêmeas segundo a médica Helena Corleta, coordenadora do Núcleo de Reprodução Humana do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre. Mas o termo causa estranhamento na prática, já que elas não se desenvolveram juntas, no mesmo útero, observa. Segundo Helena, não há um limite de tempo para o congelamento de embriões, o que diminui o espanto com o caso da menina britânica. Contudo, Helena afirma que o maior tempo entre o congelamento e a transferência do embrião foi cinco anos.
"No momento em que (o embrião) congela, para o metabolismo celular, e ele retorna quando descongela e ele vai readquirir a capacidade de dividir a célula", diz a médica. Sobre a quantidade de embriões fecundados, Helena explica que hoje em dia o procedimento envolve muito menos óvulos, mas o número ainda é alto. "Congelamos somente embriões muito bons. Temos que congelar pelo menos oito para garantirmos a fertilização".
A especialista explica ainda que, naturalmente, um óvulo fertilizado tem entre 16% e 20% de se desenvolver um feto, por isso dois embriões foram transferidos no caso de Lisa, o que é bem comum. Lembrando de que o Brasil permite até quatro, mas normalmente transferimos somente dois, o que oferece 40% de chance de gravidez única.
Número de Visualizações: 1594

Gestação Gemelar = Vizinhos de Útero

Nos últimos anos, houve um aumento considerável de gestações gemelares, seja por via natural ou por reprodução assistida. Vemos isto bastante no dia a dia das lojas da Zazou, aonde atendemos muitas clientes grávidas de gêmeos. Por isto também damos uma atenção especial ao assunto em nosso blog. Há muita curiosidade sobre este tema. Desde a criação até a educação de filhos gêmeos, como os conflitos que eles sofrem: as inevitáveis comparações, a busca da individualidade, etc. Ninguém pode negar que os gêmeos exercem um enorme fascínio. Há mães blogueiras compartilhando suas experiências, clínicas de fertilização que fornecem informações importantes, educadores e especialistas dão boas dicas e a mídia abre espaço com frequência para abordar o assunto. A novidade agora é que a paulistana Jemima Pompeu criou um espaço para reunir histórias de gêmeos, contadas por eles próprios ou por seus familiares. Pais de múltiplos e gêmeos adultos podem ter seus relatos postados e assim, compartilham informações diversas. Além da própria história, a autora disponibiliza fotos de gêmeos famosos, dicas, artigos relacionados e relatos interessantes, como por exemplo, o depoimento da atriz Suzy Rêgo, mãe dos gêmeos Marco e Massimo, que por sinal foi cliente da Zazou. Vale ressaltar também que este projeto foi indicado pelo jornalista e pai de trigêmeos, William Bonner, no twitter. Se você é gêmeo ou tem filhos gêmeos, entre em contato e saiba como participar também através do site: http://www.vizinhosdeutero.blogspot.com Ou então podem entrar em contato com ela através do E-mail: vizinhosdeutero@gmail.com ou no Facebook com: Jemima Pompeu e no Twitter: @vizinhosdeutero. Trata-se de mais uma parceira da Zazou! Vale a pena conferir o trabalho legal dela! Veja mais no vídeo abaixo:
Número de Visualizações: 1345

Riscos na gravidez múltipla

A proporção de complicações durante a gravidez de gêmeos é em torno de 40%. Mulheres com gestações múltiplas frequentemente desenvolvem pré-eclâmpsia, diabetes gestacional e hemorragias durante o parto. Joachin Dudenhause, da Universidade de Medicina Charité Berlin e Rolf F Mayer, da Universidade Medical Center Magdeburg, investigaram quais os riscos que podem ser minimizados mediante um bom acompanhamento em gestações múltiplas. Eles concluíram que de cada 1.000 gestações, 14 são múltiplas. O prazo médio das gestações múltiplas é bastante curto na faixa de 36 semanas para gêmeos, 32 semanas para trigêmeos e 30 semanas para quadrigêmeos. As causas incluem o maior peso carregado pela mulher grávida e o metabolismo aumentado em comparação a uma gestação de apenas um único feto. Em gêmeos monozigóticos, uma única placenta está presente e, consequentemente, o risco de morte de um gêmeo é maior do que em gêmeos dizigóticos, onde existem duas placentas. A Síndrome de Transfusão Feto-Fetal também afeta apenas os gêmeos monozigóticos e resulta em pouca oferta de sangue para um dos gêmeos. A causa está na ligação de um vaso sanguíneo entre os embriões, o que leva a uma redistribuição do sangue. O tratamento mais indicado é a coagulação do vaso. Em gravidez múltiplas o crescimento dos fetos precisa ser acompanhado de perto. As curvas de crescimento fetal do diâmetro da cabeça e tamanho do fêmur em gêmeos não é diferente dos fetos únicos, porém, no final da gestação múltipla há um retardo no crescimento. Por esta razão, o parto de gestações múltiplas geralmente acontece por volta da 38ª semana.
Número de Visualizações: 1197

Video = Atriz Suzy Rego Fala Como é Ser Mães de Gêmeos

Cada vez é mais comum vermos clientes nossas grávidas de gêmeos, até pelo tratamento de reprodução também mais comuns. Por isto mesmo trago o vídeo abaixo com uma entrevista bem legal com a atriz Suzy Rego que é entrevistada no programa Lá em Casa da AllTV falando da rotina prática de ser mãe de gêmeos:

Lá em Casa from Vanessa Caubianco on Vimeo.

Número de Visualizações: 1448

Prematuridade é comum na gravidez múltipla

Em uma gestação única, é comum um espermatozoide fecundar um óvulo. Quando ele se subdivide, há a gestação univitelina que, no caso do óvulo ter sido fecundado por um espermatozoide, origina gêmeos idênticos. É possível, no entanto, um óvulo ser fecundado por dois espermatozoides. Os gêmeos seriam semi-idênticos. No caso recente das quíntuplas, foram cinco óvulos fecundados por cinco espermatozoides. São os gêmeos fraternos. Os sintomas podem ser os mesmos de uma gestação única, mas as modificações no organismo requerem atenção redobrada, já que aumentam os riscos de diabetes, elevação da pressão e prematuridade. O médico Jorge Abi Saab Neto explica que, na gestação gemelar, o volume do útero aumenta conforme a quantidade de placentas. Quanto maior o número, mais ele cresce. O útero é um músculo que quando atinge o máximo de distensão, começa a se contrair e isso causa a prematuridade.
Número de Visualizações: 1167

Reprodução assistida aumenta o número de gêmeos no Brasil

Há cerca de 20 anos não era tão comum ver o nascimento de gêmeos no Brasil. Até porque um dos motivos que leva ao crescimento deste tipo de gravidez é a reprodução assistida, algo recente por aqui. E temos notado isto claramente na loja da Zazou, aonde é cada vez mais comum grávidas de gêmeos buscando roupas na Zazou, que esta preparada para atende-las plenamente. Para se ter uma ideia, há quatro anos faziam-se cerca de 13 mil procedimentos de reprodução assistida no País (entre elas a inseminação artificial e a fertilização in vitro, as mais comuns), hoje já são 20 mil casos, um crescimento de 53,84%. Outro indicador desse aumento é que em 2006 eram 56 centros de reprodução no Brasil, hoje são mais de 100, segundo dados da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo). Os médicos especialistas em reprodução assistida apontam vários fatores para o aumento de gêmeos nas famílias nos últimos anos. Não se sabe, ao certo, quantos nasciam há 20 anos e quantos nascem hoje, mas a certeza é que as ocorrências são mais numerosas na atualidade. E o principal motivo é a própria reprodução assistida, que na sua maioria trabalha com indução da ovulação. No método da fertilização in vitro, o médico acaba transferindo mais de um embrião para que a possibilidade da gravidez aumente. É por isso que a possibilidade de uma gestação gemelar é bem maior nesses casos. Segundo dados da Febrasgo, estima-se que de 20 a 25% das fertilizações in vitro e das inseminações artificiais resultem em gêmeos, quando naturalmente essas gestações variam de 1% a 2%. Há também fatores naturais que podem desencadear em gravidez gemelar. Segundo o médico do Centro de Fertilidade de Curitiba, Karam Saab, as chances das mulheres na faixa etária dos 35 aos 40 anos de idade terem filhos gêmeos é três vezes maior do que as outras. E é justamente nessa idade que ocorre a maior procura por tratamentos assistidos.
"Nessa idade as mulheres produzem um número maior de óvulos no mesmo mês", explica o médico.
Em seu consultório, 15% das tentativas de fertilização in vitro resultam em gestação gemelar, sendo que, segundo ele, quando se coloca um embrião as chances de gravidez são de 20%; com três embriões aumentam para até 50%. A infertilidade tem crescido nos últimos anos, segundo Saab, e por isso a grande procura por tratamentos assistidos. Entre os fatores que levam à infertilidade (tanto em homens como em mulheres) estão a sexualidade precoce (o que pode resultar também em doenças precoces e gravidez precoce, que pode levar a abortos); a postergação da maternidade; estresse e alimentação inadequada.
Número de Visualizações: 1539

Video = Mulher fica grávida de cinco bebês em Santa Catarina

Quase todas as mulheres sonham em ser mãe. Algumas gostariam de ter gêmeos. Mas, nunca acreditariam ter cinco bebês ao mesmo tempo? Segundo os médicos, a chance de uma mulher ficar grávida de quíntuplos de forma natural, ou seja, sem nenhum tratamento, é de uma em 65 milhões. Apesar da raridade, foi isso o que aconteceu com uma mulher em Tubarão (SC). Veja mais na matéria abaixo:
Número de Visualizações: 1535

Atriz Claudia Mauro Grávida Faz Compras de Roupa para Gestantes na Zazou no Rio

Quem esteve recentemente na loja da Zazou no Rio (no Fórum de Ipanema) para conferir as novidades de alto-inverno e logicamente também o que tinha entrado em promoção de inverno com 30% de desconto, foi a bela e simpática atriz Claudia Mauro que esta grávida de gêmeos aos 41 anos do também ator Paulo Cesar Grande. Veja por exemplo na foto abaixo, ela usando este look básico da Zazou bem com a cara descolada da grávida carioca, com um jeans com uma lavagem transada com camiseta básica branca e um casaquinho vermelho para dar o charme e o estilo antenado. Atriz Claudia Mauro Grávida Faz Compras de Roupa para Gestantes na Zazou no Rio Inclusive já repercutindo na mídia carioca com destaque em uma matéria no Jornal O Dia do Rio que saiu hoje nas bancas em: http://odia.terra.com.br/portal/diversaoetv/html/2010/7/claudia_mauro_gravida_de_gemeos_aos_41_anos_95195.html Como podem ver pela foto abaixo, ela saiu da loja toda satisfeita, já usando um vestido roxo da Zazou, e duas sacolas cheias de roupas para usar no restante da sua gravidez. Atriz Claudia Mauro Grávida Faz Compras de Roupa para Gestantes na Zazou no Rio A Zazou passa a ser uma nova boa opção de compras para as grávidas cariocas, que estão descobrindo o que as Paulistas já sabem há 9 anos, de que se procura uma roupa para grávida com um estilo bem atual, seguindo tendências da estação, com muita qualidade de tecidos e acabamento, com a melhor modelagem e consequentemente conforto e segurança precisa fazer uma visita em uma das lojas da Zazou, aonde vai descobrir a grande variedade de opções a sua escolha que existem nas arraras com mais de 200 modelos a cada coleção. Depois eu mando mais fotos de outros looks que ela experimentou, gostou e levou, ok?
Número de Visualizações: 2766

Americana tem trigêmeos após gêmeos em caso raríssimo

Uma americana deu à luz trigêmeos recentemente, concebidos de maneira natural, após já ter outros três filhos, os dois mais novos gêmeos, no que os médicos classificaram como um evento raríssimo. Os seis filhos de Natasha Wilson são todos meninos. Ainda assim, ela diz que não pretende tentar engravidar novamente para ver se consegue ter uma menina.
"Seis meninos já é demais. Agora chega", disse ela
Natasha diz que o interesse por sua gravidez já era grande mesmo antes do parto, na segunda-feira.
"Eu ia a todos os lugares e todo mundo só queria saber se eu havia tomado remédios para fertilidade ou se foi natural. Foi tudo natural mesmo", afirmou.
O obstetra Kevin Fitzpatrick, que fez o parto dos bebês Tyler Roy, Gabriel Lee e Lucas Michael, diz que a ocorrência é raríssima.
"Uma gravidez de trigêmeos sozinha já é difícil - apenas uma em cada 7 mil. Mas trigêmeos após gêmeos, acho que nunca vou ver algo semelhante outra vez", disse.
Ainda assim, a avó dos meninos, Linda Lawrence, diz ter antevisto os nascimentos.
"Depois dos gêmeos eu brinquei com ela que a próxima gravidez seriam trigêmeos. Mas eu errei, e disse que seriam três meninas", contou.
O marido de Natasha, James, está desempregado, e o custo de manter uma família tão grande preocupa o casal. Eles viviam em um trailer com dois quartos, e estão mudando agora para uma casa alugada com sete quartos.
Número de Visualizações: 1296

Video = Cláudia Mauro e Paulo César Grande contam o sexo dos bebês: é um casal!

O amor é lindo, e fica mais lindo ainda quando os pombinhos recebem um presente especial de Dia dos Namorados. Fiorella Mattheis, do programa Video Show, fez uma visitinha a Cláudia Mauro e Paulo César Grande para conferir a boa nova que o casal recebeu: a atriz está grávida de gêmeos!
"Já sabemos o sexo e vocês são os primeiros a saber: é um menino e uma menina", disse o papai coruja. Juntos há 19 anos e pais de primeira viagem, o casal está radiante. "A gente demorou tanto para ter filhos que, quando veio, caprichamos! Adiamos à beça, mas quando fiz 40 anos falei: 'chega, é agora ou nunca!'", conta Cláudia. "Sempre optamos por trabalhar bastante, viajar, mas agora estou preparado. Já fiz bastante coisa na vida. Vou ser pai avô aos 52 anos! Vai coroar um relacionamento de muito amor", completou Paulo César Grande.
Os bebês nascem no final de setembro ou início de outubro. Quer saber mais? Confira o café da manhã de Fiorella com os atores no vídeo baixo, aonde a Claudia esta vestida com peças da coleção de inverno 2010 da Zazou:
Número de Visualizações: 1495

Video = Dia dos Namorados = Cláudia Mauro Grávida & Paulo César Grande falam sobre gravidez de gêmeos

Vejam o video abaixo sobre o dia dos namorados, em que a atriz Cláudia Mauro grávida do também ator Paulo César Grande falam sobre gravidez de gêmeos. Detalhe: Claudia é mais uma grávida conhecida que se veste de Zazou. Já foi na loja da Zazou no Rio mais de uma vez para escolher peças legais para vestir durante sua gravidez e não perder seu estilo.
Número de Visualizações: 1311

Quadrigêmeos com três anos de diferença

Vejam só este incrível caso que aconteceu na Inglaterra, e nos foi mostrado pela Revista Crescer, em que a Alice Baxter, essa menina linda que está segurando os bebês na foto abaixo do Jornal, é três anos mais velha que seus irmãos gêmeos, mas ainda assim eles são quadrigêmeos. Revista Crescer "Como isso é possível?" , você deve estar se perguntando. Eles são frutos de uma fertilização in vitro... As quatro crianças foram concebidas ao mesmo tempo, ao todo seis embriões foram fertilizados. Quatro deles foram congelados e dois foram implantados no útero da mãe, Helen. Duas semanas depois, ela descobriu que estava grávida de Alice. A menina nasceu em 2007. Animados com o sucesso da primeira gestação, Helen e seu marido Shane tentaram ter outro bebê naturalmente, mas sofreram dois abortos espontâneos. Decidiram, então, voltar à clínica de fertilização para implantar os quatro embriões que estavam congelados. A grande surpresa do casal foi quando descobriram que três embriões se fixaram no útero e estavam se desenvolvendo bem.
“É muito raro ver trigêmeos nascidos de embriões congelados depois de uma gravidez bem sucedida da mesma concepção”, disse o porta-voz na clínica de fertilização ao jornal inglês Daily Mail.
Detalhe, os bebês nasceram saudáveis e não são idênticos. Incrível, não?
Número de Visualizações: 2514

Video = Mães de gêmeos têm mais chances de sofrer depressão pós-parto

Você sabia de que as mães de gêmeos têm mais chances de sofrer depressão pós-parto? Pois saiba mais sobre os sintomas dessa doença com uma entrevista com o ginecologista Alberto D'Auria, no vídeo abaixo da TV Record que fala exatamente sobre o assunto.
Número de Visualizações: 1135

Video = Pai conta Emoção em Ter Trigêmeos

Vejam no vídeo abaixo o depoimento de um pai contando a emoção de ter trigêmeos.
Número de Visualizações: 1158

Video = Multiplos = Quadrigemeos

Para quem quer saber mais sobre o tema dos Multiplos, vejam no video abaixo uma materia sobre quadrigemeos identicos que passou no Fantastico deste domingo.
Número de Visualizações: 1315

Video = Família ganha quadrigêmeos e soma nove filhos

Você esta grávida de gêmeos? Pois então não pode perder o quadro "Quatro por Quatro" do programa Fantástico da TV Globo, que mostrou neste último domingo a rotina de uma supermãe no interior de Minas Gerais, Eliane que já tinha cinco filhos, e agora com os quadrigêmeos, são no total nove crianças. Como será que ela consegue pôr ordem na casa? E, na ponta do lápis, qual o custo de sustentar a criançada? A matéria mostra outra mãe de quadrigêmeos, desta vez no Rio de Janeiro, que fez até uma planilha para isto. Afinal, quem não se perderia entre 32 mamadeiras e 40 fraldas por dia? Veja no vídeo abaixo a reportagem completa:
Número de Visualizações: 1313

Quadrigêmeos deixam hospital e mudam rotina dos pais

Eles são lindos e fofinhos, mas dão uma canseira danada. Domingo passado no quadro 4 por 4 do programa Fantástico da TV Globo, você começou a acompanhar a história de Ana Carolina, mãe de quadrigêmeos em São Paulo. Depois de um mês no hospital, a família, bem maior, volta pra casa. E Ana Carolina, que nunca tinha sequer trocado uma fralda na vida, agora se vê às voltas com um pequeno exército que chora, pede atenção e tira o sono. Domingo passado, no primeiro episódio de Quatro por quatro, você foi testemunha de um acontecimento raro. Apenas uma em cada 700 mil mães engravida de quadrigêmeos de forma natural. Gestações múltiplas, como essa, são mais comuns quando a mulher faz tratamento de fertilização. Ana Carolina Lima, a Caú, jornalista de 30 anos, tirou a sorte grande. Depois de um mês no hospital ganhando peso, Sophia, Laura, Beatriz e João Pedro já estão prontos para ir pra casa. Veja no vídeo abaixo o episódio desta semana, como a nova mamãe se saiu nos primeiros dias em casa. E acompanhe também as histórias de outros quadrigêmeos de Minas que tiveram problemas de saúde (Pneumonia) e tiveram que voltar ao hospital.
Número de Visualizações: 1517

Gémeos nascem em anos diferentes

Vejam este caso abaixo de dois gémeos idênticos nasceram com poucos minutos de diferença um do outro, mas o suficiente para pertencerem a anos diferentes. O primeiro gémeo a conhecer a luz do dia faz anos a 31 de Dezembro, enquanto o segundo irá festejar a 1 de Janeiro. Tudo aconteceu em Tampa, na Florida, nos Estados Unidos, na noite da passagem do ano. Margarita Velasco, a mãe, entrou em trabalho de parto no dia 31 de Dezembro de 2009, ou seja, o nascimento de Marcello e Stephano teve de ser antecipado dez semanas, uma vez que se tratava de uma gravidez de alto risco. Os médicos do Hospital Geral de Tampa optaram por recorrer a um parto de cesariana. Desta forma, Marcello nasceu alguns minutos antes das 00h00, de 31 de Dezembro de 2009, enquanto o irmão Stephano veio ao mundo alguns momentos após o início de 2010. Juan, pai dos gémeos, não conseguia esconder a satisfação por ter os filhos saudáveis, brincando mesmo com o facto de cada um vir a ter a respectiva festa de aniversário. De acordo com médicos do hospital de Tampa, os bebés prematuros deverão receber alta dentro de dois meses.
Número de Visualizações: 1290

Video = Gravidez de Multiplos = Quadrigemeos

No programa Fantastico deste primeiro domingo do ano, foi apresentado uma materia bem interessante com o casal Ana Carolina e Jerônimo, que teviveram em 2009 quatro filhos de uma só vez! Sim eles tiveram uma gravidez múltipla e sem tratamentos especiais. E como nao poderia deixar de ser eles viveram momentos emocionantes com o nascimento das crianças, que voces vao poder ver no video abaixo: Depois mande seus comentarios.
Número de Visualizações: 1774