Dicas de Como Controlar a Incontinência Úrinária na Gravidez e Pós Parto

A perda de urina involuntária é chamada de incontinência urinária (IU), que acaba se torando um problema higiênico e social, não deixa de ser um incomodo para a qualidade de vida das gestantes. Isto ocorre por diversos fatores, sejam eles primários ou os que se agravam com a idade avançada, obesidade, menopausa, constipação intestinal, e infelizmente também na gravidez e pós parto, que levam ao enfraquecimento da musculatura do assoalho pélvico e períneo, que é um conjunto de músculos que tem como função, sustentar os órgãos pélvicos, mantendo assim, o controle dos esfíncteres, principalmente a urina.

Dicas de Como Controlar a Incontinência Úrinária na Gravidez e Pós Parto

Durante a gestação a incontinência urinária normalmente ocorre devido à pressão na bexiga, comprimida pelo útero aumentado, com este aumento da pressão intra-abdominal sobre os orgãos responsáveis pela continência urinária, além da cabeça do feto pressionar a bexiga. No entanto, assim que termina a gravidez, a mulher tende a recuperar o controle da urina.

Outros fatores, influenciam para a incontinência urinária na gravidez, como: o aumento da produção de urina, pois os rins aumentam de tamanho devido a maior circulação que acontece no corpo da mulher para receber o bebê. Também existe um aumento de hormônios, que acabam colaborando nestes aspectos, relaxam a musculatura e acaba diminuindo a pressão de fechamento do canal, onde a urina sai.

O problema também pode acontecer se a mulher apresentar uma composição genética fraca de seu colágeno (uma proteína importante para unir e fortalecer tecidos do organismo), o que pode já acarretar na frouxidão dos músculos que envolvem a bexiga e assoalho pélvico. Ou também pelo simples motivo do estiramento e/ou relaxamento desses músculos devido à gravidez. Outros fatores agravantes podem ocorrer durante um parto normal: se o bebê for muito grande, o parto for mal assistido ou se for utilizado fórceps de maneira errada. Nessas condições, os músculos que apóiam a bexiga podem ser lesionados permanentemente.

Mas então o que fazer?

Para começar pode usar absorvente higiênico neutro, que acaba sendo uma ótima solução para esse caso. Contudo, se começar a vazar de repente, sem nenhuma sensação prévia, é melhor procurar o médico.

O que muitas mulheres ainda não sabem, é que existem exercícios específicos, com o objetivo de melhorar e/ou restaurar esses músculo, devolvendo-a uma melhor condição ou solução do problema.

O pilates pode ajudar a combater e a tratar a incontinência urinária, pois tem como objetivo principal, o controle e fortalecimento da musculatura pélvica. Através das aulas de pilates, a paciente pode trabalhar dando ênfase a musculatura de sustentação: abdômen, lombar, glúteos e toda região pélvica, especialmente o períneo (área entre o ânus e a uretra). Vale salientar que é o Pilates é a única atividade completa, quando se pensa em fortalecer todos esses grupos musculares associados, e de forma não invasiva. O mesmo aumenta a consciência corporal e muscular, e todos os exercícios são associados com respiração e controle abdominal.

Pilates na Gravidez

Pode-se ter excelentes resultados quando se utilizam exercícios específicos para a musculatura do assoalho pélvico, adquirindo maior controle da urina. É muito importante que cada aluna seja avaliada quanto ao grau de força do assoalho pélvico e o nível de consciência da ação dessa musculatura.

Na década de 1940, um homem chamado Arnold Kegel criou um novo tipo de exercício físico, que hoje conhecemos como “Exercícios Físicos de Kegel”. Na época, o objetivo de Arnold era criar uma nova forma para o fortalecimento do músculo pubococcígeo.

Quer dizer, os exercícios Kegel bem realizados colaboram no fortalecimento dos músculos pélvicos. Estes músculos são os que ajudam a sustentar a vagina e a bexiga, no caso dessa última ajuda a reter a urina, afastando a incontinência urinária.

Basicamente, os exercícios de Kegel funcionam da seguinte maneira: você deverá contrair e descontrair os músculos de Kegel, o que proporcionará a restauração do tônus muscular e a força do músculo.

Como benefício o exercício de kegel evita a incontinência urinária, além de fortalecer, traz a prevenção e a redução de possíveis problemas de saúde na região pélvica e ainda aumenta a satisfação sexual.

Isso porque os exercícios de Kegel, trata o prolapso vaginal, além de prevení-lo. Outro ponto importante é que os exercícios de Kegel atuam no tratamento de casos de incontinência urinária em mulheres e também em homens.

Também vale ressaltar que os casos de incontinência urinária devem ser acompanhados por um médico ginecologista e/ou obstetra, o qual em parceria com o fisioterapeuta indicará o exercício ideal. Ao fisioterapeuta caberá a tarefa de desenvolver e aplicar um plano de reeducação da musculatura de assoalho pélvico, através de um processo individualizado e que dê resposta às necessidades de cada paciente.

Número de Visualizações: 10064

Did you like this? Share it:

Leave a Reply

Usuários do Twitter
Clique no botão abaixo para efetuar o login usando sua conta do Twitter.